PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Venezuela anuncia que Chávez respira por cânula traqueal e divulga foto de presidente

Do UOL Notícias, em São Paulo

15/02/2013 12h55Atualizada em 15/02/2013 13h26

O governo da Venezuela divulgou nesta sexta-feira (15) as primeiras fotos do presidente Hugo Chávez desde que foi submetido a uma cirurgia de urgência por causa de um câncer há dois meses, em Cuba. 

"Em breve comunicado oficial sobre evolução da saúde do presidente Chávez, mais fotografias", escreveu o ministro de Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas, no Twitter. Para em seguida dizer que Chávez continua com dificuldades respiratórias. Segundo ele, Chávez está respirando através de uma cânula traqueal, o que "dificulta temporariamente sua fala".

"A infecção respiratória que surgiu durante o pós-operatório foi controlada, embora persista um certo grau de insuficiência. Diante desta circunstância, que está sendo devidamente tratada, atualmente o comandante Chávez apresenta respiração através de cânula traqueal, que dificulta temporariamente sua fala", explicou o ministro, em uma mensagem televisionada à nação.

Villegas também publicou uma foto de Chávez, na qual o mandatário aparece deitado, de jaqueta, fechada até à altura do pescoço. Ao seu lado, estão suas duas filhas, María Gabriela e Rosa Virginia. Na foto, ele aparece lendo uma edição do jornal cubano Granma.  

Villegas afirmou que a foto foi tirada ontem, em Havana, onde Chávez está internado desde dezembro devido a um câncer na pélvis.  O ministro prometeu divulgar mais informações em cadeia nacional sobre o estado de saúde do mandatário venezuelano.

Nesta quinta-feira (14) , o líder opositor venezuelano, Henrique Capriles, havia acusado novamente o governo de "mentir" sobre o estado de saúde do presidente, hospitalizado em Cuba há mais de dois meses e ausente da vida pública.

"Muito provavelmente, eles têm mentido nos últimos dois meses sobre a condição do presidente da República", disse em coletiva de imprensa Capriles, que argumentou que o governo "mentiu" ao afirmar até bem pouco tempo que não havia uma desvalorização do bolívar, o que se confirmou na quarta-feira.

Capriles defendeu que Chávez pode estar em uma situação "totalmente diferente em relação ao que falaram" os membros de seu governo, os únicos autorizados a divulgar informações sobre o estado de saúde do dirigente.

O último registro divulgado na quarta-feira pelo vice-presidente Nicolás Maduro indicava que o presidente está sendo submetido a tratamentos "complexos e duros" na sua luta contra o câncer.

Apesar de Chávez não aparecer em público desde que foi operado pela quarta vez no dia 11 de dezembro em Cuba, o executivo garante que o presidente continua no comando, tomando decisões e assinando decretos, como a desvalorização de quase 32% do bolívar frente ao dólar, que entrou em vigor na quarta-feira.

Capriles, que ressaltou que Chávez havia negado no ano passado que planejava uma desvalorização da moeda, insistiu que o governo "mente sistematicamente". "Se uma pessoa pode assinar, não vai poder se pronunciar ao país? Então estão mentindo, não é verdade que o presidente fala e assina", acrescentou.

Capriles foi derrotado nas eleições presidenciais de outubro de 2012 por Chávez, porém obteve um número maior de votos do que outros rivais anteriores do dirigente, com 44% frente a 55%.

O atual governador do Estado Miranda (no norte) não confirmou que se candidataria às eleições presidenciais antecipadas frente a uma eventual falta absoluta do presidente e disse que a oposição está "pronta" para tomar decisões caso ocorra este cenário.

Chávez, desde 1999 no poder, não pôde tomar posse para um novo mandato no dia 10 de janeiro, como estava previsto, mas o Tribunal Supremo aprovou que assumisse quando estivesse em condições e que seu governo do período 2007-2012 permanecesse em exercício. (Com Reuters e AFP)

Internacional