PUBLICIDADE
Topo

Ahmadinejad fala em "doença suspeita" de Chávez e russos cobram investigação

Do UOL, em São Paulo

06/03/2013 08h25

O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, homenageou nesta quarta-feira (6) o presidente venezuelano Hugo Chávez, morto na terça-feira (5) vítima de um câncer, e afirmou que o líder venezuelano foi vítima de "uma doença suspeita".

Morreu de uma "doença suspeita e deu sua vida (...) pela ascensão de seu país e a liberdade de seu povo", escreveu o presidente iraniano em uma carta de condolências publicada no site da presidência do Irã.

A menção de Ahmadinejad ao caráter suspeito da doença de Chávez encontra eco na afirmação do vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que antes do anúncio oficial da morte do presidente, em um primeiro pronunciamento na TV na manhã da quinta-feira (5), acusou os "inimigos do país" de estarem por trás da doença de Chávez.

O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Patrick Ventrell negou a acusação feita por Maduro: "A afirmação de que os Estados Unidos estavam envolvidos de alguma maneira na causa da enfermidade do presidente Chávez é absurda, e a rechaçamos completamente".

Também nesta quarta-feira (6), o líder do Partido Comunista da Rússia, Guennadi Ziugánov, pediu uma investigação internacional sobre a morte de Chávez, em entrevista ao canal "Rússia 24". Ziugánov aventou a suspeita de um possível envolvimento dos EUA no câncer que vitimou o líder venezuelano. "Não é uma casualidade (...) Como é possível que simultaneamente seis líderes sulamericanos que se queixam da política dos EUA e tentam ser independentes de repente padeçam da mesma enfermidade que Chávez", perguntou retoricamente o líder dos comunistas russos.

Entre os líderes sulamericanos que tiveram câncer recentemente estão o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, a presidente Dilma Rousseff (PT), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-presidente paraguaio Fernando Lugo figuran el presidente colombiano, Juan Manuel Santos, la jefa del Estado brasileño, Dilma Rousseff, su antecesor Luiz Inácio Lula da Silva, y el exlíder paraguayano, Fernando Lugo e o ex-presidente do Haiti, René Preval. Além destes cinco, rumores sobre o estado de saúde do líder cubano Fidel Castro -cuja doença foi convertida em um virtual segredo de Estado, em Cuba- dão conta de ele poderia ter tido um câncer.

Luto no Irã

O governo do Irã decretou um dia de luto oficial no país persa pela morte de Chávez, a quem classificou como "fugura anti-imperialista" e "herói" da América Latina. Ahmadinejad saudou chávez como "um mártir por ter servido seu povo e protegido os valores humanos e revolucionários".

"A Venezuela perdeu um filho forte e corajoso, e o mundo perdeu um líder revolucionário e sábio", completou Ahmadinejad. "Não tenho dúvidas de que voltará, junto com o virtuoso Jesus e o Homem perfeito", disse o presidente iraniano.

A última menção foi uma referência à crença xiita de que o 12º imã, o "Mahdi", desaparecido no século VII, voltará ao mundo junto com Jesus Cristo para salvar o mundo e trazer a paz.

A Venezuela é o principal aliado do Irã na América Latina. Os dois países desenvolveram estreitas relações econômicas e políticas nos últimos anos. Chávez fez 13 visitas ao Irã durante os 14 anos que passou no poder. Ahmadinejad viajou seis vezes a Venezuela desde que assumiu a presidência em 2005.

(Com agências internacionais)

Internacional