PUBLICIDADE
Topo

Maduro faz promessas em primeiro discurso como candidato à presidência

O presidente interino da Venezuela mostra o certificado depois de registrar sua candidatura à presidência - Ariana Cubillos/AP Photo
O presidente interino da Venezuela mostra o certificado depois de registrar sua candidatura à presidência Imagem: Ariana Cubillos/AP Photo

Do UOL, em São Paulo

11/03/2013 16h31

Em um discurso na praça Ibarra Diego, no centro da capital Caracas, logo após apresentar sua candidatura nas eleições à presidência da Venezuela ao CNE (Conselho Nacional Eleitoral), que ocorrerão dia 14 de abril, Nicolás Maduro prometeu resolver o problema da insegurança e melhorar hospitais e sistema de saúde do país.

"Em nome de nosso comandante Hugo Chávez entrego o programa que cumpriremos de 2013 a 2019", afirmou.

Falando a milhares de eleitores, em discurso transmitido pela TV venezuelana "Telesur", Maduro se comprometeu a "avançar na solução do problema da insegurança, a criminalidade, a violência," e disse que era parte da missão "limpar a Venezuela".

Ele disse que quer "ir ao bairro mais perigoso de Petare [cidade do Estado de Miranda] para falar com os "caras" e dizer a eles para cessar a matança".

"Temos a responsabilidade de proteger as pessoas decentes. A gente tem direito à paz", disse.

O presidente interino e candidato também acusou os policias e as "narconovelas" de promoverem o "culto às armas", responsável pelos altos níveis de violência no país.

A insegurança pública é uma das maiores preocupações dos venezuelanos, em um país com uma taxa de homicídios de 55,2 para cada 100 mil habitantes, segundo dados oficiais -- seis vezes a média mundial. Mas este era um tema evitado por Chávez.

"Em nome de meu comandante Hugo Chávez, quero me tornar o presidente que irá salvar a Venezuela da violência, da criminalidade e das drogas", disse entre os aplausos dos chavistas que gritavam: "É assim que se governa!".

Maduro também garantiu a melhoria do sistema de saúde venezuelano.

"Há coisas que estão mal no sistema de saúde, como os hospitais", afirmou.

Mas, no governo bolivariano que vocês vão eleger, médicos cubanos continuarão a servir o povo da Venezuela todos os dias", prometeu Maduro.

"Este ano de 2013 temos que melhorar todos os hospitais do país, compromisso de Chávez", afirmou.

(Com agências internacionais)

Internacional