PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Polícia indiana sugere que turista suíça vítima de estupro coletivo tem culpa por ataque

Turista suíça estuprada por uma gangue é levada com o rosto coberto para fazer exames em um hospital indiano, no sábado (16) - Reuters
Turista suíça estuprada por uma gangue é levada com o rosto coberto para fazer exames em um hospital indiano, no sábado (16) Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

20/03/2013 18h59

Autoridades indianas afirmaram que a turista suíça, vítima de um estupro coletivo, e seu marido são parcialmente culpados pelo ataque que aconteceu na semana passada na Índia, segundo o "The Huffington Post".

O casal andava de bicicleta em uma área remota arborizada em Madhya Pradesh, na Índia, na última sexta-feira (15), quando aconteceu o crime. A gangue os atacou, amarrou o marido em uma árvore e estuprou a mulher. Depois disso, os criminosos ainda roubaram cerca de 10 mil rúpias (aproximadamente R$ 365) e um telefone celular.

O porta-voz da polícia indiana, Avnesh Kumar Budholiya, afirmou no domingo (17), durante uma coletiva de imprensa, que o casal também é culpado do ataque por não terem procurado informações sobre a segurança da região antes de viajar.

"Por que escolheram aquele lugar? Eles estavam no lugar errado na hora errada. Eles passaram por uma delegacia de polícia no caminho para a área em que acamparam. Deveriam ter parado e perguntado sobre lugares para dormir", afirmou Budholiya.

Outro funcionário também apareceu para colocar a culpa na vítima e em seu marido. "O estupro da cidadã suíça é lamentável, mas os viajantes estrangeiros devem informar à polícia sobre as suas ações, para que possa ser fornecida a proteção adequada", disse Gupta Umashankar, ministro do interior de Madhya Pradesh, segundo o "The Times".

A cidade de Madhya Pradesh tem uma das maiores taxas de crimes contra as mulheres no país, fato que os turistas suíços não estavam cientes, de acordo com o "Times of Índia".

Seis homens foram presos acusados de ligação com o caso. A vítima, que foi hospitalizada após o ataque, afirma que quatro homens a estupraram. Os seis compareceram a um tribunal na segunda-feira (18).

O ataque mais recente ocorreu três meses após uma mulher de 23 anos ter sido estuprada e espancada por cinco homens em um ônibus público, em Nova Déli. O advogado de defesa de três dos réus também colocou parte da culpa na vítima que morreu.

Segundo Ranjana Kumari, diretor do Centro de Pesquisa Social de Nova Déli, culpar uma mulher vítima de um crime sexual é comum na Índia por causa do papel da mulher na sociedade.

"Esta é a mentalidade que a maioria dos homens indianos estão sofrendo infelizmente", disse Kumari ao jornal "Sydney Morning Herald". "Essa é a mentalidade que tem perpetuado este tipo de crime na Índia", afirmou.

Internacional