PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Enfermeiro quer contar a pais de vítima de Boston que filha não sofreu

Krystle Campbell, 29, morreu após atentando na maratona de Boston na última segunda (15) - Reprodução/Facebook
Krystle Campbell, 29, morreu após atentando na maratona de Boston na última segunda (15) Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

18/04/2013 20h02

O enfermeiro que atendeu Krystle Campbell, 29, perto da linha de chegada da Maratona de Boston após as explosões da última segunda-feira (15), quer conhecer os pais da moça para lhes dizer que ela não morreu sozinha, nem sofreu durante muito tempo.

Krystle está entre os três mortos dos atentados, que também deixaram mais de 170 feridos.

O enfermeiro Stephen Segatore contou à rede de TV "CNN" que, quando paramédicos levaram Krystle para a tenda de atendimento, a beleza, a juventude e a maquiagem azul brilhante nos olhos da moça lhe chamaram atenção. Ele conta também que as sardas no rosto da vítima o fizeram lembrar de sua filha mais velha.

A jovem chegou de maca, com múltiplos ferimentos. Ela não respirava e estava inconsciente. Mesmo sabendo que ela dificilmente o ouviria, Segatore disse que era um enfermeiro e que cuidaria bem dela.

Então, nos dez minutos seguintes, a equipe tentou fazer com que o coração de Krystle, que não estava bombeando sangue, voltasse a funcionar. Sem sucesso. Foi quando um dos médicos anunciou a sua morte.

No dia seguinte, as ver fotos de Krystle nos jornais, Segatore soube que aquela era a mulher que tentara salvar. Ele, então, decidiu que queria falar com os pais dela. “Eu quero que eles saibam que ela não estava sozinha quando morreu. Nós fizemos tudo o que podíamos para salvá-la, mas seus ferimentos eram muito graves", disse.

"Se fosse minha filha, eu gostaria de saber”, concluiu.

Investigação

O FBI --a polícia federal norte-americana-- divulgou na tarde desta quinta-feira (18), durante uma coletiva de imprensa, imagens de dois suspeitos de terem participado dos ataques a bombas na Maratona de Boston, na última segunda-feira (15). Os atentados deixaram três mortos e mais de 170 feridos.

Durante o anúncio, o FBI pediu ajuda para encontrar os suspeitos. Quem tiver qualquer informação pode entrar em contato pelo site www.bostonmarathontips.fbi.gov ou pelo e-mail boston@ic.fbi.gov.

  • Reprodução/FBI

    Suspeitos são vistos caminhando um na frente do outro na rua onde ocorreram explosões

Obama presta homenagem

"Sim, nós vamos encontrá-lo e vamos fazer justiça! Nós vamos terminar a corrida! Não podemos deixar algo como isso nos parar. Isso não pode nos parar. É isso que vocês nos ensinaram, Boston", disse hoje o presidente dos EUA, Barack Obama, durante ato ecumênico em memória das vítimas do atentado, em Boston.

A cerimônia foi realizada na Catedral da Santa Cruz de Boston, que fica a menos de 2 km do local das explosões, e contou com a presença de cerca de 2.000 pessoas, entre elas autoridades estatais e locais. "Se eles tentaram nos intimidar, nos aterrorizar, abalar os nossos valores... que nos definem como americanos, deve ficar bastante claro agora que eles escolheram a cidade errada para fazer isso. Não aqui em Boston", disse Obama.

O atentado marcou o início de uma semana de sobressaltos nos EUA. Na quarta-feira, um homem do Mississippi foi preso sob suspeita de enviar cartas envenenadas a Obama e a outras autoridades. Na noite do mesmo dia, uma fábrica de fertilizantes explodiu no interior do Texas, devastando a pequena cidade ao seu redor.

Pelo menos dez pessoas sofreram amputações por causa do atentado na célebre Maratona de Boston. Os investigadores acreditam que as bombas eram caseiras --feitas com panelas de pressão, pólvora e fragmentos metálicos.

(Com agências internacionais)

Duas bombas explodem durante Maratona de Boston, nos EUA

Internacional