Topo

Suspeito foragido de atentado em Boston venera islã em rede social

Boston Regional Intelligence Center/AP
Dzhokhar A. Tsarnaev, 19, um dos suspeitos de estar envolvido nos atentado em Boston Imagem: Boston Regional Intelligence Center/AP

Do UOL, em São Paulo

2013-04-19T13:08:58

19/04/2013 13h08

O jovem russo de origem tchetchena Dzhokhar Tsarnev , 19, suspeito de ser um dos autores do atentado a bomba que deixou três mortos e mais de 170 feridos na Maratona de Boston na última segunda-feira (15), citou o islã em uma rede social russa para descrever sua “visão de mundo”.

O irmão dele, Tamerlan Tsarnaev, 26, também apontado como suspeito, foi morto após uma troca de tiros durante uma megaoperação policial na cidade de Watertown, nos arredores de Boston, na madrugada desta sexta (19).

Dzhokhar também postou links para sites islâmicos e páginas que defendem a independência da Tchetchênia –território de maioria muçulmana ao sul da Rússia que travou sua luta pela independência em duas guerras na década de 1990--, além de vídeos de combatentes na guerra civil da Síria.

A página do suspeito também revela um senso de humor em torno de sua própria identidade como membro de uma minoria do Cáucaso --área no sul da Rússia que inclui a Tchetchênia, o Daguestão, a Inguchétia e outras regiões predominantemente muçulmanas--, que vive há duas décadas sob o clima de conflito, desde a queda da União Soviética.

Na rede, Dzhokhar postou a seguinte piada: "Um carro passa com um cara da Tchetchênia, um do Daguestão e outro da Inguchétia dentro. Pergunta: Quem está dirigindo? Resposta: A polícia”.

Em outro post, em vídeo, o jovem fez piada com o sotaque do Cáucaso.

Uma conta no Youtube em nome de Tsarnaev Tamerlane --mesmo nome do suspeito morto-- também continha conteúdo com conotação islâmica. Pela conta, criada em agosto de 2012 nos EUA, o usuário compartilhou vídeos relacionados ao islamismo, muito deles rotulados de "terroristas", que acabaram sendo bloqueados.

O pais dos irmãos, Anzor Tsarnaev, que mora na cidade russa de Makhachkala, disse à agência russa "Interfax" que o serviço secreto americano fez uma armadilha para seus filhos por eles serem "crentes muçulmanos". Ele ainda descreveu o filho mais novo, o foragido, como "um verdadeiro anjo".

Tchetchênia

Autoridades da república russa informaram nesta sexta que, atualmente, os irmãos Tsarnaev não têm nenhuma relação com a Tchetchênia. "Os indivíduos suspeitos de terem perpetrado o crime em Boston não têm qualquer relação com a Tchetchênia", disse Alvi Karimov, porta-voz do líder local, Ramzan Kadyrov, à "Interfax".

Segundo ele, "a família Tsarnaev há muitos anos se mudou da Tchetchênia para outra região". "Durante um longo tempo viveram no Cazaquistão e de lá emigraram para os Estados Unidos, onde os membros da família receberam permissão de residência", disse. (Com Reuters)

Mais Internacional