PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Dançarina que perdeu pé no atentado de Boston quer voltar a dançar

Adrianne Haslet sorri ao lado do marido no hospital - Arquivo pessoal
Adrianne Haslet sorri ao lado do marido no hospital Imagem: Arquivo pessoal

Do UOL, em São Paulo

23/04/2013 10h40

"Espera aí, meu pé está doendo." Foi isso que a dançarina Adrianne Haslet, 32, disse assim que percebeu que estava ferida instantes após a explosão de uma bomba na maratona de Boston, no último dia 15.

Ela e seu marido Adam Davis, um soldado da Força Aérea dos EUA que havia acabado de voltar do Afeganistão, estavam assistindo à competição próximos à linha de chegada. O atentado deixou três pessoas mortas e cerca de 264 feridas.

Em entrevista ao canal de TV ABC, do hospital Boston Medical Center, onde está sendo tratada, Adrianne afirmou que não percebeu instantaneamente que foi ferida.

"Não senti o calor da bomba. Apenas senti o ar se deslocando e, por isso, caí no chão", contou.

Seu ferimento foi tão grave que os médicos tiveram de amputar seu pé esquerdo, uma perda devastadora para uma professora de dança.

Mesmo com a dor e o trauma recentes, Adrianne, que estampa a capa do jornal "Boston Herald" desta terça-feira (23), dá sinais de que não vai se deixar deprimir. "Com certeza, eu quero dançar novamente", disse, convicta.

Personagens da tragédia

  • Reprodução/The Boston Globe

    Irmãos que assistiam à Maratona de Boston perdem uma perna cada um

  • Reprodução/Facebook

    Estudante chinesa morta na Maratona de Boston é identificada

  • Reprodução/Boston Globe

    Criança de 8 anos morta em ataque esperava o pai na chegada da maratona

  • Charles Krupa/AP

    Homem que tentou suicídio após filho morrer no Iraque vira herói

  • Reprodução/Facebook

    Mulher de 29 anos é a segunda vítima fatal da Maratona de Boston

Foi a mãe da dançarina, Chauni Haslet, que teve de dar a notícia à filha. Quando acordou da anestesia, Adrianne notou que havia algo estranho em seu corpo.

"Meu pé parece adormecido. Tenho a sensação de que ele está caindo da cama", disse para sua mãe.

Chauni apenas aproximou-se de Adrianne e disse, baixinho: "Querida, seu pé esquerdo... se foi."

Ao jornal "Boston Herald", Adrianne contou que no local da explosão, mesmo ferida e com o pé praticamente descolado de sua perna, ainda conseguiu dizer para o marido que o amava.

"Disse a ele que sentia muito que tudo isso estava acontecendo e que se aquela fosse a última vez que a gente estivesse juntos, que ele soubesse o quanto eu o amo. Depois, falei que iríamos passar por cima de tudo aquilo porque eu ainda não estava pronta para deixá-lo", contou.

Além de voltar à pista de dança, Adrianne tem mais um objetivo a partir de agora.

"Não vou deixar alguém roubar minha vida. Então vou voltar a dançar e, no ano que vem, eu, que nunca fui uma corredora, planejo correr a maratona", disse ao "Boston Herald". 

Internacional