PUBLICIDADE
Topo

Internacional

"Parece o Rio de Janeiro!" brinca papa ao ver muitos jovens durante o Ângelus

Thiago Varella

Do UOL, na Cidade do Vaticano

04/08/2013 10h07

No primeiro Ângelus rezado pelo papa Francisco após sua volta do Brasil, onde participou da JMJ (Jornada Mundial da Juventude), o pontífice elogiou o povo brasileiro.

Em um discurso improvisado, o pontífice afirmou que não esquece a "calorosa" acolhida que recebeu no Brasil e disse que o brasileiro é "um povo generoso" e de "grande coração".

Jornada Mundial da Juventude 2013
Jornada Mundial da Juventude 2013
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','71412', '')

As palavras de Francisco emocionaram os brasileiros que enfrentaram um calor de 38ºC na praça São Pedro, no Vaticano, neste domingo (4) apenas para ver o papa de longe.

"A gente se sente orgulhoso quando vê o papa elogiando o Brasil. É importante ouvir coisas boas do nosso país", afirmou Rogério Dutra, 33.

Junto com um grupo de 26 romeiros do interior de São Paulo, Dutra completou há poucos dias o caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. A ida ao Vaticano fechou a aventura de fé pela Europa.

"Durante os 30 dias de caminhada, a gente ouviu falar da preparação e depois da ida do papa ao Brasil. Tivemos a felicidade de encontrá-lo agora aqui no Vaticano após a viagem dele ao Rio", disse.

Para fazer a peregrinação, Murilo Pierroti, 20, de Limeira, no interior de São Paulo, teve de abrir mão de ir à JMJ. Para ele, ouvir o papa por 20 minutos valeu a pena.

"Depois de minha jornada de fé particular, em que até noivo eu fiquei, chegar aqui é realizar mais um sonho", afirmou.

No meio de inúmeras bandeiras argentinas, Madalena Inácio, 65, tremulava uma do Brasil. Pernambucana, ela vive em Roma há 27 anos e disse ter dado as boas-vindas ao papa durante a semana.

"Na quarta-feira, fui até a igreja onde o papa rezou uma missa. Quando ele saiu, levantei a bandeira e gritei 'bem-vindo de volta'. Ele sorriu como um amigo", contou.

O paranaense Renato Kovalski, 24, lamentou ter perdido a JMJ. Há um ano, ele vive em Portugal onde estuda biologia.

"Sou muito católico e cheguei a cogitar ser padre. Todos os meus amigos de Teixeira Soares (PR) foram ao Rio", disse. "Tive azar de, no ano em que saí do meu país pela primeira vez, ter perdido o papa no Brasil e uma nevasca na minha cidade", lamentou.

Ângelus

O papa Francisco lembrou neste domingo (4) a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do Rio de Janeiro e convidou os jovens a buscarem Jesus para combater o "veneno do vazio que se insinua em nossas sociedades baseadas no proveito e no possuir" que os iludem "com o consumismo".

O pontífice advertiu que os jovens "são especialmente sensíveis ao vazio de significado e de valores que com frequência os cerca e, infelizmente, pagam as consequências disso".

"Por outro lado, o encontro com Jesus vivo, em sua grande família que é a Igreja, enche o coração de alegria, porque o enche de verdadeira vida, de um bem profundo, que não passa e não se murcha", acrescentou.

Francisco insistiu em como o Evangelho deste domingo põe o acento precisamente "na absurdidade de basear a própria felicidade" nas posses materiais.

"A verdadeira riqueza é o amor de Deus partilhado com nossos irmãos", afirmou.

Após a reza do Ângelus, o papa agradeceu a todos os fiéis que foram ao Vaticano "apesar do calor" e lhes desejou, como de costume, um bom domingo, acrescentando "um bom mês de agosto".

Ao final, vendo um grande número de jovens na praça, o papa Francisco exclamou: "parece o Rio de Janeiro!". (Com Efe)

Pontificado de Francisco
Pontificado de Francisco
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','71407', '')

Internacional