PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Após postar frase racista sobre África, executiva inglesa pede desculpas

Reprodução do tuíte de Justine Sacco que diz que ela vai para a África espera não pegar aids - Reprodução Twitter/DailyMail
Reprodução do tuíte de Justine Sacco que diz que ela vai para a África espera não pegar aids Imagem: Reprodução Twitter/DailyMail

Do UOL, em São Paulo

21/12/2013 16h25

Justine Sacco, executiva de relações públicas da IAC, companhia mãe da Vimeo, Tinder, CollegeHumor, Dictionary.com e OkCupid, em Nova York, tuitou uma frase racista ao embarcar para a África do Sul, na sexta-feira (20). Ela disse: "Indo para África. Espero não pegar aids. Brincadeira. Eu sou branca!", em tradução livre.

O post viralizou na internet, com a criação inclusive de perfis falsos no Twitter e Facebook que a chamam de racista. Após saber da repercussão, Sacco, que nasceu no Reino Unido, deletou sua conta no Twitter e postou um pedido de desculpas em seu Facebook. A executiva disse que fez uma estupidez e pede desculpas. "Longe de mim ter uma ideia racista, era só para dar risadas", disse já na Cidade do Cabo.

A empresa emitiu comunicado que informa que afirma: "este é, um comentário ofensivo escandaloso que não reflete os pontos de vista e valores de IAC. Infelizmente, o empregado em questão é inacessível em um vôo internacional, mas este é um assunto muito sério e estamos tomando as medidas apropriadas."

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a África Subsaariana é responsável pela maior carga de infecções por HIV e mortalidade relacionada com a aids no mundo. Estima-se que 33 milhões de pessoas em todo o mundo viviam com o HIV em 2007, dos quais 67% estavam na África subsaariana. A região também é responsável por 75% das mortes globais em decorrência da aids. Aproximadamente 9,1 milhões de pessoas foram infectadas com o HIV na África subsaariana em 2007.

Internacional