PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Cinco pessoas morrem após tiroteio em Las Vegas

Tiroteio em Las Vegas começou em uma pizzaria e se continuou em um supermercado da rede Walmart - Ethan Miller/Getty Images/AFP
Tiroteio em Las Vegas começou em uma pizzaria e se continuou em um supermercado da rede Walmart Imagem: Ethan Miller/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/06/2014 19h38Atualizada em 09/06/2014 08h07

Um homem e uma mulher mataram três pessoas a tiros em Las Vegas, no Estado norte-americano de Nevada, entre elas dois policias. Em seguida, a mulher matou o homem e se suicidou. 

O casal entrou em uma pizzaria no leste de Las Vegas às 11:30 de domingo (15:30 em Brasília) e atirou contra dois policiais, que almoçavam no local. Um oficial morreu no local e o outro faleceu no hospital.

Em seguida, o casal foi até um supermercado Walmart, do outro lado da rua, e matou uma terceira pessoa na loja, antes de cometer suicídio.

A dupla pegou as armas dos policiais baleados na pizzaria antes de seguir para o supermercado, onde gritou "todo mundo para fora" e fez vários disparos.

A mulher atirou no seu companheiro antes de virar a arma contra si mesma, disse o xerife Doug Gillespie, do Departamento de Polícia do Metrô de Las Vegas, em uma coletiva de imprensa.

Não havia nenhum motivo claro para os tiroteios. No entanto, testemunhas disseram que os agressores gritavam "isto é uma revolução", quando entraram na Cici Pizza e atiraram nos policiais.

"Fizeram uma espécie de pacto suicida entre eles", disse um oficial da polícia citado pelo “The Review Journal”.

"Nós não sabemos nada sobre os suspeitos e ainda estamos tentando descobrir", disse o porta-voz da polícia Larry Hadfield à agência de notícias Associated Press.

O governador de Nevada, Brian Sandoval, disse ter ficado "arrasado" pelos assassinatos de dois policiais - Alyn Beck, 42, e Igor Soldo, 32 - e uma terceira pessoa. Um dos policiais teria reagido na pizzaria; mais tarde houve outra troca de tiros entre a polícia e os suspeitos no Walmart. 

"É um dia trágico", disse o xerife Gillespie. "Nós temos uma comunidade para proteger, vamos fazê-lo com a cabeça erguida."

A polícia diz que não há outros suspeitos do tiroteio.

Segundo caso em quatro dias

O incidente ocorre apenas três dias após um atirador matar uma pessoa e ferir outras três, na quinta-feira, no campus da Universidade Seattle Pacific, no estado de Washington.

O criminoso abriu fogo no saguão de um edifício da Faculdade de Ciências da Universidade, o que provocou a morte de um jovem de 19 anos e deixou três feridos, um deles em estado crítico.

O atirador, detido pela polícia, foi identificado como Aaron Ybarra, de 26 anos, que não estudava na universidade.

Há duas semanas, um jovem de 22 anos com problemas mentais matou seis pessoas, três delas nas proximidades do campus da universidade de Santa Barbara, na região de Los Angeles. (Com BBC Brasil)

Internacional