PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ataque de Israel a mercado em Gaza deixa 17 mortos

Do UOL, em São Paulo

30/07/2014 12h26Atualizada em 30/07/2014 14h30

Ao menos 17 palestinos morreram e 200 ficaram feridos em ataque aéreo israelense nesta quarta-feira no mercado de Shejaiya, na faixa de Gaza, informou o Crescente Vermelho.

De acordo com a BBC, um jornalista local identificado como Rami Rayan também morreu no ataque.

Segundo fontes palestinas, vários moradores da faixa tinham aproveitado a trégua humanitária de 4 horas anunciada por Israel para fazer compras, e o mercado estava movimentado no momento do ataque.

Mapa Israel, Cisjordânia e Gaza - Arte/UOL - Arte/UOL
Mapa mostra localização de Israel, Cisjordânia e Gaza
Imagem: Arte/UOL

Testemunhas disseram que várias bombas caíram enquanto as pessoas tentavam fugir do local depois do primeiro bombardeio, relatou a TV NBC.

Porém, essa região não estava entre as zonas contempladas com a chamada "janela humanitária", prevista para durar das 9h às 13h (horário de Brasília). 

O Exército israelense havia alertado que o cessar-fogo não se aplicaria às zonas onde os soldados "estão atualmente em operação" e que os residentes não deveriam voltar para áreas que haviam sido evacuadas.

Ataque a escola

O anúncio da trégua ocorreu depois que um ataque israelense matou 19 palestinos refugiados em uma escola da UNWRA (Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina)  em Jabaliya, no norte da faixa de Gaza, deixando outros 90 feridos. O caso provocou dura reação da ONU. 

Pierre Krähenbühl, comissário-geral da UNRWA, classificou o ataque de "vergonha universal", lembrando que 3.300 pessoas haviam buscado refúgio na escola.

"Ontem à noite, crianças foram mortas enquanto dormiam ao lado de seus pais no chão de uma sala de aula em um abrigo da ONU em Gaza. Crianças mortas enquanto dormiam; isso é uma afronta para todos nós, uma fonte de vergonha. Hoje o mundo está em desgraça", afirmou em nota 

Israel disse que militantes próximos à instalação atiraram bombas de morteiro, e as forças israelenses foram obrigadas a revidar, acrescentando que o caso seria investigado.

O Exército afirmou que durante a janela humanitária, o Hamas disparou 26 foguetes contra Israel, dois interceptados em voo sobre as localidades de Ashkelon e Netivot.

Além disso, o Exército apontou que desde a meia-noite, 84 foguetes foram lançados pelas milícias palestinas contra solo israelense. 

Desde que começou a ofensiva israelense contra o Hamas em Gaza, em 8 de julho, pelo menos 1.302 palestinos morreram e mais de 7 mil ficaram feridos, segundo fontes médicas palestinas.

Desde meia-noite passada, cerca de 72 palestinos morreram e 200 ficaram feridos durante os incessantes ataques por terra, mar e ar das forças armadas israelenses contra a faixa de Gaza, que se intensificaram nos últimos dias.

Do lado israelense, o conflito deixou 58 mortos, a maioria soldados. (Com agências internacionais)

Internacional