Topo

Protestos na Venezuela deixam três policiais feridos

George Castellanos/AFP
Policial fica em chamas após ser atingido por coquetel molotov jogado por manifestante durante proteso em San Cristobal, na Venezuela Imagem: George Castellanos/AFP

Da Agência Brasil

2014-08-26T09:41:32

2014-08-26T11:27:02

26/08/2014 09h41Atualizada em 26/08/2014 11h27

Três policiais ficaram feridos nas últimas horas desta terça-feira (26), durante protestos na Venezuela contra a implementação de um sistema de controle biométrico em supermercados públicos e privados para controlar compras recorrentes do mesmo produto e combater o contrabando.

Os policiais sofreram queimaduras, na sequência de explosões provocadas por coquetéis molotov, lançados por cidadãos que colocaram várias barreiras na localidade de Las Pilas, cidade de San Cristobal, a sudoeste de Caracas.

Fontes não oficiais informaram que, durante os confrontos, vários civis também ficaram feridos e que homens da Polícia Militar invadiram um complexo residencial onde estavam alguns manifestantes.

Em Caracas, na tarde de segunda (25), várias pessoas incendiaram pneus e colocaram barricadas no centro do município de Chacao, onde foram registrados confrontos entre manifestantes e forças de segurança, que geraram momentos de tensão e dificultaram a circulação de viaturas.

A Polícia Nacional Bolivariana encerrou o protesto, desmantelou as barricadas e deteve, pelo menos, seis manifestantes.

Ainda na capital, moradores de Santa Fé colocaram barricadas na rodovia de Prados del Este, o que provocou forte congestionamento e confrontos com as forças de segurança. A Polícia Militar interveio e duas pessoas foram detidas.

No último dia 19, autoridades venezuelanas anunciaram a instalação do sistema de controle biométrico em supermercados. A medida deve entrar em funcionamento até o fim de novembro e visa também a combater a economia paralela.

O sistema biométrico consiste na emissão e distribuição de um cartão numerado com dados do cliente, que estará associado às suas impressões digitais.

No último dia 11, a Venezuela enviou pelo menos 17 mil militares para a fronteira com a Colômbia, como uma de várias medidas para combater o contrabando de bens essenciais e de combustível, que gera prejuízos aos dois países.

O envio dos militares ocorreu horas antes de a Venezuela fechar, pela primeira vez, sua fronteira, na tentativa de combater o contrabando de produtos.

Mais Internacional