Topo

Após atentado, homem com fuzil mata policial perto de Paris e foge

Um homem com um colete à prova de balas e armas disparou contra policiais municipais - Thomas Samson/AFP
Um homem com um colete à prova de balas e armas disparou contra policiais municipais Imagem: Thomas Samson/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/01/2015 07h53Atualizada em 09/01/2015 11h35

A polícia procura pelo suspeito de atirar na manhã desta quinta-feira (8) contra policiais municipais, em Montrouge, na periferia ao sul Paris. Uma policial morreu e um funcionário da limpeza está em estado grave. O homem fugiu em um carro.

Por volta das 8h (5h no horário de Brasília), o suspeito, que vestia um colete à prova de balas e carregava uma arma curta e um fuzil automático, atirou pelas costas contra policiais que atuavam em um acidente de trânsito.

Segundo o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, que abandonou rapidamente a reunião de crise convocada pelo presidente François Hollande para discutir o o atentado contra o "Charlie Hebdo" e foi para o local do incidente, o autor dos disparos está foragido e ainda não foi identificado. Pouco antes, fontes policiais haviam dito que um homem suspeito teria sido preso. 

A seção antiterrorista da Procuradoria de Paris assumiu a investigação sobre o tiroteio. Não foi estabelecido qualquer vínculo entre esse ato e o massacre cometido na redação da revista 'Charlie Hebdo', afirmou a procuradoria. Entretanto, segundo autoridades, o caso está sendo tratado como ataque terrorista.

O ministro do Interior pediu calma e sangue frio para facilitar "as investigações em andamento nas melhores condições".

Explosão perto de mesquita

Pouco antes, às 5h desta quinta-feira (3h de Brasília), uma explosão de origem criminosa foi registrada em frente a um restaurante de kebabs próximo a uma mesquita na cidade de Villefranche-sur-Saône, no leste da França.

Não houve vítimas, anunciaram fontes judiciais. É um ato criminoso, indicou à AFP uma fonte da prefeitura. (Com agências internacionais)

Internacional