Topo

Sobe para 10 número de mortos após terremoto no Chile

Do UOL, em São Paulo

17/09/2015 07h38Atualizada em 17/09/2015 17h46

Subiu para 10 a quantidade de mortes causadas por um terremoto de magnitude 8,3 que atingiu o Chile, próximo à região de Valparaíso, na noite de quarta-feira (16). O número foi confirmado na manhã desta quinta-feira (17) pelo ministro do Interior, Jorge Burgos, de acordo com o jornal "El Mercurio".

Ao "número de oito chilenos mortos que anunciamos mais cedo, devemos somar mais duas pessoas", disse Burgos, ao divulgar um último balanço oficial do mesmo.

O Chile suspendeu na manhã de hoje o alerta de tsunami emitido após o forte tremor, informou o governo. "O alerta de tsunami está suspenso para todo território nacional", informou o Escritório Nacional de Emergências pelo Twitter.

Mais de um milhão de pessoas foram retiradas de casa após o tremor na costa chilena no oceano Pacífico, que provocou ondas fortes em cidades litorâneas. O epicentro do tremor foi a cerca de 55 km a oeste de Illapel. Ele ocorreu por volta de 19h54 e teve uma profundidade de 33 km.

A presidente chilena, Michelle Bachelet, decretou zona de catástrofe para a província de Choapa (norte), epicentro do tremor, o que significa que a região está sob comando militar e que o Estado destinará mais recursos à localidade para atender a emergência.

Bachelet pretende visitar nesta quinta-feira a região afetada para uma "avaliação precisa". A presidente advertiu para a ocorrência de tremores secundários e disse que o governo acompanha a situação "minuto a minuto".

Brasil e Argentina

No Brasil, diversos internautas relataram nas redes sociais que também sentiram um leve tremor. Há relatos na capital paulista, Santos e Campinas (SP), Belém (PA), São Luís (MA) e Pouso Alegre (MG).

Os Bombeiros de São Paulo receberam 50 chamados de pessoas que sentiram o terremoto, nas regiões da Paulista, da Vila Mariana, do Tatuapé, de Guarulhos e de Osasco.

"Pensei que estava ficando louca! Meu marido e eu estamos de férias no Brasil. Somos do Chile e sentimos o prédio balançar. Estamos na Vila Mariana, no último andar do prédio", contou Paola Rivera Bruno, 37, empresária que mora em Santiago do Chile, via WhatsApp.

"Moro no Campo Belo, no 21° andar. Estava sentado no sofá, e minha mulher estava no quarto passando roupa. Eu senti balançar e perguntei se ela havia sentido, ela disse que não e veio até a janela da sala.

Quando parou em frente à janela, ela sentiu balançar, e então descemos correndo. Nisso, o vizinho também saiu na porta e perguntou. Ele viu o lustre dele balançar, e a esposa dele viu a cabeça dele balançar", relatou Robson, 34, publicitário, também via WhatsApp.

Na Argentina, internautas relataram tremores nas cidades de Santa Fé, Mendoza e Buenos Aires.

"Estou em Buenos Aires, no 18º andar do hotel. Todo o quarto se moveu, cama, lâmpadas e janelas. Senti o tremor durante uns 30 segundos, mais ou menos. Já havia presenciado terremotos quando morei na Califórnia", relatou Fernando Tidei, 45, gerente de projetos, via WhatsApp.

Outros casos

Um terremoto de magnitude 8,8 chacoalhou e causou um enorme tsunami no Chile em 2010 matando mais de 500 pessoas e destruindo 220 mil casas. Pela força, esse terremoto encurtou o dia da Terra por uma fração de segundo, alterando a rotação do planeta.

O Chile é um dos países mais sujeitos a terremotos do mundo, porque ao longo de sua costa a placa tectônica Nazca mergulha sob a placa sul-americana, empurrando a imponente cordilheira dos Andes a altitudes cada vez maiores. O terremoto mais forte já registrado na Terra aconteceu no Chile --um tremor de magnitude 9,5 em 1960, que matou mais de 5.000 pessoas. (Com agências internacionais)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Internacional