PUBLICIDADE
Topo

Sem poder ir às ruas, franceses preparam mobilização virtual por vítimas de atentados

Carolina Vila-Nova

Do UOL, em Paris

20/11/2015 14h57

Impedidos pelo estado de emergência de se reunirem em público, os franceses convocaram uma grande mobilização virtual para fazer uma homenagem aos mortos e feridos nos atentados terroristas da sexta-feira passada (13).

A mobilização deve ocorrer nesta sexta-feira (20) precisamente às 21h20 (horário local), hora em que os ataques promovidos pelo Estado Islâmico começaram, e foi inventada pelo coletivo Main dans la Main (De mãos dadas), formado por estudantes parisienses.

“Estávamos frustrados, desapontados por não podermos nos manifestar”, explicou a estudante de comunicação Flora, uma das líderes da iniciativa.
“Nós não podemos nos reunir em lugares públicos”, diz o texto da convocação.

“Por isso, às 21h20 desta sexta-feira, dia 20/11, onde quer que você esteja, pare de comer, pare de andar, para de beber. Se levante. Pegue a mão do seu vizinho, do seu companheiro, de sua família por um minuto”, continua a convocação. “Faça uma foto e poste nas redes sociais para formar uma grande cadeia de solidariedade.”
 

“Vivamos. Juntos. Unidos. Nossa Paris atacada e aqueles que nos amamos, alegres, felizes, livres, bêbados, criativos, inventivos, sonhadores, brincalhões. Faremos juntos esse simples ato de se dar as mãos para afirmar nossa unidade. Se o sofrimento nos atravessa, ele não deve nos jogar por terra. Diante da violência terrorista, ficaremos de pé para defender nossos valores de liberdade, de igualdade e de fraternidade”, finaliza.

No Facebook , quase 3 milhões de pessoas aderiram à iniciativa, inclusive de gente de fora de França. “Estarei presente em pensamento e darei a mão aos meus vizinhos naquela triste hora”, disse Véronoque Sarrouy Mercier, da Bélgica.

O movimento teve a adesão ainda de um grupo de artistas que assinaram um manifesto na versão em francês do “Huffington Post”. Entre eles estão o cantor Charles Aznavour e instituições como o Instituto do Mundo Árabe.

“Façamos barulho e luz para que eles compreendam que eles perderam. Faremos junto esse simples ato, aqui, lá, para provar mais uma vez que a cultura continuará a fazer brilhar a chama da esperança e da fraternidade”, disse o manifesto. 

As homenagens oficiais do governo francês pelas vítimas dos atentados serão apenas na sexta-feira da próxima semana (27), no Palácio dos Inválidos, em Paris.

Internacional