PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Homem abre fogo em clínica de ONG pró-aborto nos EUA e deixa 3 mortos

Daniel Owen/The Gazette/AP
Imagem: Daniel Owen/The Gazette/AP

Do UOL, em São Paulo

27/11/2015 18h14Atualizada em 28/11/2015 05h54

O tiroteio ocorrido nesta sexta-feira (27) em uma centro de planejamento familiar da ONG Planned Parenthood, que inclui uma clínica de aborto, em Colorado Springs, no oeste dos Estados Unidos, deixou dois civis e um policial mortos, além de nove feridos, segundo o último boletim das autoridades.

"Trata-se de uma terrível tragédia. Perdemos dois civis e choramos a morte de um valente policial", disse em entrevista coletiva o prefeito da cidade, John Suthers, se referindo ao ataque, que durou cinco horas.

A porta-voz da polícia Catherine Buckley assinalou que dos nove feridos, cinco são policiais. Todos com ferimentos de bala.

Um homem não identificado abriu fogo nas proximidades do consultório, que também realiza procedimentos abortivos. Mais cedo, autoridadas afirmaram que verificariam o local e o carro do atirador em busca de explosivos.

O tiroteio começou depois das 11h30 (16h30, horário de Brasília) no prédio da clínica da Planned Parenthood, uma das organizações mais importantes do país sobre planejamento familiar e reprodução.

Os centros de planejamento familiar, local de realização de abortos, são geralmente alvo de cidadãos que rejeitam o direito à interrupção da gravidez. Ainda não há confirmação sobre se a ONG era o alvo do atirador.

A Polícia conseguiu retirar as pessoas, pouco a pouco, de dentro do imóvel, enquanto acontecia a troca de tiros com o suspeito. Uma equipe da Swat - Tropa de Elite da polícia norte-americana - participou da ação. A identidade do atirador não foi divulgada até agora.

A cidade tem cerca de 400 mil habitantes e fica na parte central do Estado do Colorado, a 112 km da capital Denver.

Explosivos

A porta-voz da Polícia, Catherine Buckley, conta que Um dos principais objetivos da investigação agora é determinar se, de fato, o homem carregava explosivos entre a munição que utilizou para atacar o local.

Mais cedo, Buckley havia dito que o atirador estava em posse de "aparelhos", dando a entender que poderiam ser explosivos. Ele também estava armado com um fuzil. "Estamos esperando ter uma situação estável para que as forças de segurança inspecionem os elementos introduzidos no prédio", explicou.

A troca de tiros se estendeu por horas. As emissoras de televisão americanas exibiram imagens de pessoas sendo retiradas às pressas, sem cobertores, na neve - algumas aos prantos.

Representantes do FBI, a Polícia Federal americana, ou da ATF, agência americana responsável por Álcool, Cigarro, Armas de Fogo e Explosivos, participaram da intervenção.

O presidente americano, Barack Obama, foi informado imediatamente dos acontecimentos por sua conselheira de Segurança Interna, Lisa Monaco.

Vicky Cowart, presidente da Planned Parenthood nas Montanhas Rochosas, afirmou que "a máxima prioridade é a segurança dos pacientes e do pessoal" da clínica. "Ainda não sabemos as circunstâncias e os motivos deste ato criminoso, ou sequer se a Planned Parenthood era o alvo do ataque", disse Cowart. (Com agências internacionais)

Internacional