Após extradição, Abdeslam é preso e acusado de "assassinatos terroristas" na França

  • Matthieu Alexandre/AFP

    Frank Berton, advogado de Salah Abdeslam, fala a jornalistas em Paris, na França

    Frank Berton, advogado de Salah Abdeslam, fala a jornalistas em Paris, na França

Apontado como o único jihadista sobrevivente entre os que cometeram os atentados terroristas de 13 de novembro do ano passado, em Paris, o belga Salah Abdeslam foi preso nesta quarta-feira (27) pela Justiça francesa e acusado de assassinato com "caráter terrorista".

O advogado de Abdeslam na França, Frank Berton, afirmou ao sair do Palácio da Justiça de Paris que o belga também foi acusado de cumplicidade em assassinato com caráter terrorista, uso e posse ilegal de armas, confecção de explosivos e sequestro.

AFP
Salah Abdeslam

Extraditado hoje da Bélgica à França e peça chave na investigação dos ataques na capital francesa, nos quais morreram 130 pessoas e mais de 300 ficaram feridas, Abdeslam foi levado para Fleury-Mérogis, a maior penitenciária da Europa, localizada a 30 quilômetros ao sul de Paris. 

Segundo o ministro da Justiça  francês, Jean-Jacques Urvoas, o acusado vai ficar detido "sob segurança máxima" na região de Paris, isolado dos demais detidos e sob vigilância de uma equipe especial, com experiência em reclusos perigosos.

De acordo a imprensa local, o terrorista foi levado de helicóptero da prisão belga de Beveren para o aeroporto de Villacoublay, nos arredores de Paris, sob escolta do corpo de elite da guarda francesa.

Do aeroporto, Abdeslam seguiu para o palácio da Justiça de Paris onde vai ficar diante de um dos juízes de instrução do caso relativo aos atentados de Paris, que causaram 130 mortes. O Ministério Público francês havia pedido a detenção provisória para o suspeito.

Berton afirmou ter ficado surpreso com a rapidez das autoridades belgas em entregar Abdeslam à França. Ele deve ser interrogado amanhã.

O advogado lembrou que o próprio Abdeslam pediu para ser entregue às autoridades francesas, com as quais disse que vai cooperar.

Em declarações à emissora France Info, o advogado do terrorista afirmou, depois de um encontro com Abdeslam na Bélgica, que a atitude do seu cliente não será a "de se manter em silêncio", como comumente acontece em casos de crimes de terrorismo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos