AP

11 de Setembro

Congresso dos EUA autoriza que vítimas do atentado de 11/9 processem a Arábia Saudita

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters

    Momento que o World Trade Center em Nova York é atingido pelo ataque terrorista de 11 de setembro de 2001

    Momento que o World Trade Center em Nova York é atingido pelo ataque terrorista de 11 de setembro de 2001

As famílias das vítimas do 11 de Setembro, que completa seu 15º aniversário no domingo, poderão processar ante a justiça americana outros países, como Arábia Saudita, segundo lei aprovada nesta sexta-feira (9) pela Câmara dos Estados Unidos. O Senado já tinha aprovado a lei "Justiça contra Patrocinadores do Terrorismo" (JASTA, na sigla em inglês), em maio.

Quinze dos 19 autores dos ataques eram sauditas. O projeto de lei, rejeitado pelo governo saudita, deve ser ainda sancionado pelo presidente Barack Obama, que já expressou sua oposição ao projeto. Um funcionário da Casa Branca disse nesta semana que a posição do governo não mudou.

O governo Obama teme que a medida sirva também para que um país estrangeiro possa processar os EUA.

Para derrubar o veto de Obama, serão necessários votos de dois terços da Câmara e do Senado.

A medida revela um crescente desejo de setores de Washington de rever sua aliança com a Arábia Saudita, uma relação que tem sido um pilar para política externa dos EUA no Oriente Médio por décadas.

Os legisladores também parecem ter sofrido intensa pressão das famílias das vítimas, que pressionaram para que a lei fosse aprovada antes do 15º aniversário dos ataques, no domingo.

Quase 3 mil pessoas morreram nos atentados de 11 de setembro de 2001.

Relembre como foram os ataques de 11 de setembro

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos