Primeiro debate americano é embate tenso entre Hillary e Trump

Do UOL, em São Paulo

  • Mary Altaffer/AP

    Donald Trump e Hillary Clinton se cumprimentam no início do primeiro debate presidencial nos EUA

    Donald Trump e Hillary Clinton se cumprimentam no início do primeiro debate presidencial nos EUA

Os candidatos à Presidência dos EUA Hillary Clinton (democrata) e Donald Trump (republicano) participaram nesta segunda-feira (26) de um tenso primeiro debate para as eleições presidenciais, na Universidade Hofstra, na região de Nova York. 

O debate chegou a sair do controle nos primeiros momentos, com o empresário Trump interrompendo a fala e subindo a voz sobre a rival. Mas, embora a tensão tenha se mantido, o clima se manteve um pouco mais amigável no restante das discussões.

Estavam na plateia o ex-presidente Bill Clinton, a mulher de Trump, Melania com a família do empresário, além de personalidade dos dois partidos. A mediação esteve a cargo do apresentador da emissora "NBC", Lester Holt.

O encontro, considerado histórico e que deve registrar recordes de audiência é o primeiro dos três nos quais os dois candidatos medirão forças antes do pleito do próximo dia 8 de novembro.

De acordo com uma pesquisa da "CNN", Hillary venceu o debate contra seu rival - 62% dos consultados apontaram a democrata como vencedora. Apenas 27% dos 521 indagados, todos eles eleitores registrados, responderam que foi Trump quem se saiu melhor.

Além disso, 41% dos indagados se identificou como eleitor democrata, enquanto 26% como republicano - os demais não definiram sua filiação política.

Trump e Hillary trocam acusações em primeiro debate

Empregos

O embate começou logo no primeiro bloco do debate, dedicado à discussão sobre a economia e à geração de empregos. 

"Donald teve muita sorte em sua vida, e isso foi tudo a seu favor. Ele tomou emprestado US$ 14 milhões de seu pai, ele realmente acredita que quanto mais você ajuda os ricos, melhor será para você", disse Hillary.

"Bom, meu pai me deu um empréstimo muito modesto em 1975", respondeu o republicano, que parecia estar doente, não parando de fungar.

Drew Angerer/Getty Images/AFP
Público acompanha o debate entre os candidatos à Presidência dos EUA na Hofstra University

Hillary acusou o rival de ter feito dinheiro com a bolha imobiliária. "Isso se chama fazer negócio", respondeu ele. 

O magnata também reiterou sua rejeição ao Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (NAFTA), que considerou o "pior tratado que possivelmente já se assinou" e "a pior coisa" para a indústria manufatureira dos Estados Unidos.

"Quando vendemos ao México há um imposto, quando eles vendem para nós, não há. É um acordo defeituoso. Temos que parar para que deixem de roubar nossos postos de trabalho", completou Trump, que criticou o apoio dado pela então senadora ao tratado.

Candidatos discutem a respeito de medidas econômicas

E-mails

Hillary também questionou o fato de Trump não ter divulgado suas declarações de renda, o republicano alfinetou.

"Divulgarei minhas declarações de renda, contra o conselho dos meus advogados, quando ela divulgar os 33.000 emails que foram deletados" -- uma referência ao escândalo pelo fato de ela ter usado seu email privado enquanto era secretária de Estado. 

"Cometi um erro utilizando meu e-mail particular", disse Hillary durante o primeiro debate presidencial realizado nesta segunda-feira na Universidade de Hofstra (Nova York), algo que Trump respondeu com "não é verdade".

Trump diz que divulgará imposto quando Hillary mostrar e-mails

A ex-secretária de Estado (2009-2013) acrescentou que "assume a responsabilidade" pelo equívoco e que, se passasse por essa situação novamente, atuaria de maneira "diferente".

"Isso foi mais que um erro. Isso foi de propósito", contestou o magnata nova-iorquino, que não pareceu convencido das explicações de Hillary.

Trump chegou a acusar Hillary de lidar com o Estado Islâmico "desde sua vida adulta".

"Checadores de fatos, por favor!", chamou Hillary!

Brendan Smiallowski/AFP
Bilhete para o debate presidencial na Hofstra University mostra o nome da candidata Hillary Clinton escrito errado

Tensão racial

Donald Trump, pediu "lei e ordem" para acabar com a tensão racial entre os negros e a polícia.

"Há duas palavras que a secretária Clinton não quer usar, que são lei e ordem", declarou Trump, que no primeiro debate presidencial considerou que a polícia "tem medo de fazer qualquer coisa" e, por isso, considerou que se multiplicaram os tiroteios em cidades como Chicago (Illinois).

Frente a isso, Hillary ofereceu três receitas contra as tensões raciais: restabelecer a confiança entre a polícia e as comunidades negras, treinar os agentes e resolver a "epidemia" da violência armada, que tira de maneira desproporcional as vidas de homens afro-americanos.

"A raça continua sendo um grande desafio para nosso país, ainda determina muito, determina onde as pessoas vivem, que tipo de educação recebem e determina como são tratadas pelo sistema penal", lamentou Hillary, que reiterou sua promessa de impulsionar uma reforma do sistema de justiça criminal.

Candidatos falam sobre violência e conflitos raciais

"Temos de restaurar a confiança entre as comunidades, temos que trabalhar para assegurar-nos que os agentes têm o melhor treinamento e que usdm a força só quando é necessário", completou a ex-secretária de Estado.

Em sua luta para conquistar o voto dos afro-americanos, que apoiam Hillary majoritariamente, Trump destacou que a comunidade negra "foi abandonada" pelos interesses partidários dos políticos democratas, que recorrem a eles na época de eleições, mas depois se esquecem de seus problemas.

"Necessitamos instaurar a lei e a ordem em nossas cidades, os que são mais afetados por isto são os hispânicos e os afro-americanos", acrescentou Trump. 

Em outro momento, Clinton acusou Trump de ter baseado sua carreira política na "mentira racista" de que o presidente Barack Obama não nasceu nos Estados Unidos.

Trump "realmente começou sua carreira política sobre a mentira racista de que nosso primeiro presidente negro não é um cidadão americano".

Apenas recentemente Trump admitiu pela primeira vez que Obama é, sim, americano.

Qin Lang/Xinhua
Jovem posa para foto com pôsters de Hillary Clinton e Donald Trump

Energia

Questionado pelo mediador, Trump diz que Hillary parece não ter "energia" para ser presidente.

Ela responde: "Depois que ele tiver viajado para 112 países, negociado acordos de paz, um cessar-fogo ou mesmo tiver passado 11 horas prestando testemunho no Congresso, ele pode falar sobre ter energia". 

Trump rebate: "Hillary tem experiência. Mas é má experiência". (Com agências internacionais)

Trump e Hillary comentam ações contra o Estado Islâmico

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos