"Descanse em paz, companheiro Fidel", diz ex-presidente Lula

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação - 28.fev.2014

    Registro do encontro do ex-presidente Lula com Fidel Castro, em Cuba, em 2014

    Registro do encontro do ex-presidente Lula com Fidel Castro, em Cuba, em 2014

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota na manhã deste sábado (26) sobre a morte do ex-presidente cubano Fidel Castro, que ele chamou de "o maior de todos os latino-americanos".

"Seu espírito combativo e solidário animou sonhos de liberdade, soberania e igualdade. Nos piores momentos, quando ditaduras dominavam as principais nações de nossa região, a bravura de Fidel Castro e o exemplo da revolução cubana inspiravam os que resistiam à tirania", diz o comunicado.

Na nota, Lula conta que conheceu Fidel em 1980, na Nicarágua. "Mantivemos, desde então, um relacionamento afetuoso e intenso, baseado na busca de caminhos para a emancipação de nossos povos".

Lula se referiu a Fidel como amigo. "Sinto sua morte como a perda de um irmão mais velho, de um companheiro insubstituível, do qual jamais me esquecerei".

A morte do líder revolucionário foi anunciada em um pronunciamento feito na TV pelo presidente de Cuba e seu irmão, Raúl Castro, e ocorreu, segundo ele, às 22h29 (horário local) de sexta-feira (25). O corpo de Fidel será cremado, "em cumprimento à vontade expressa de Fidel", e as cinzas vão percorrer o país ao longo da semana.

O funeral está programado para ser realizado no dia 4 de dezembro, em Santiago de Cuba, terra natal de Fidel.

Presidente de Cuba anuncia morte de Fidel Castro

O que disseram Temer e outros ex-presidentes

O presidente Michel Temer (PMDB) divulgou comunicado na manhã de hoje no qual elogia Fidel Castro por ser "um líder de convicções". "Marcou a segunda metade do século 20 com a defesa firme das ideias em que acreditava", afirmou.

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) declarou que "a morte do comandante Fidel Castro, líder da revolução cubana e uma das mais influentes expressões políticas do século 20, é motivo de luto e dor".

Segundo Dilma, Fidel foi "um visionário que acreditou na construção de uma sociedade fraterna e justa, sem fome nem exploração, numa América Latina unida e forte".

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que a morte de Fidel marca o fim de um ciclo, no qual Cuba conseguiu ampliar a inclusão social, "mas não teve o mesmo sucesso para assegurar a tolerância política e as liberdades democráticas".

"Estive várias vezes com Fidel, no Brasil, no Chile, em Portugal, na Argentina, em Costa Rica. O Fidel que eu conheci, dos anos 90 em diante, era um homem pessoalmente gentil, convicto de suas ideias, curioso e bom interlocutor", elogiou FHC.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos