Topo

Drone capturado pela China é devolvido aos Estados Unidos

Santiago Carrizosa/U.S. Navy
8.out.2016 - Membros da marinha dos Estados Unidos e Reino Unido com um aparelho submarino sem tripulação semelhante ao que foi apreendido pela marinha chinesa Imagem: Santiago Carrizosa/U.S. Navy

Do UOL*, em São Paulo

2016-12-20T10:19:10

20/12/2016 10h19

Um drone capturado em águas do mar da China Meridional na última semana foi devolvido pelo país aos Estados Unidos nesta terça-feira (20). Mesmo com a tensão criada entre os dois países, a entrega do aparelho não tripulado foi feita após “negociações amistosas”, de acordo com o Ministério da Defesa da China.

O drone norte-americano estaria realizando trabalhos de pesquisa científica na baía de Subic, nas Filipinas, medindo a salinidade e a temperatura da água quando foi capturado por militares chineses. O Pentágono destacou que a operação cumpria a legislação internacional e que por isso não havia motivos para o aparelho ser capturado.

"Este incidente contradiz tanto a legislação internacional como os padrões internacionais de conduta entre navios no mar", afirmou o secretário de imprensa do departamento de Defesa norte-americano Peter Cook.

Em comunicado divulgado no último sábado, o porta-voz do ministério chinês, Yang Yujun, acusou o Pentágono de "exagerar" no incidente ao torná-lo público e criticou que os Estados Unidos levam tempo enviando navios e aviões de combate para realizar trabalhos de reconhecimento em águas chinesas.

Segundo ele, a ação foi feita para evitar prejuízos e examinar o aparelho "de maneira profissional e responsável".

Na véspera, o governo chinês chegou a desmentir ter capturado o drone norte-americano, contrariando as acusações lançadas pelo presidente eleito americano, Donald Trump, que acusou a China de ter roubado a sonda.

A mensagem, publicada em seu perfil no twitter, teve grande repercussão porque, além disso, o presidente eleito cometeu um erro ao escrever "unpresidented" ("sem presidente") em vez de "unprecedentet" ("sem precedentes"), um erro que retificou apagando o tuíte e publicando um novo.

O incidente do drone no mar da China Meridional coincidiu com a publicação na semana passada, por parte do Centro de Estudos Estratégicos Internacionais (CSIS) de Washington, de imagens de satélite que supostamente mostram a instalação de armas militares em pequenas ilhas artificiais levantadas por Pequim nessas águas.

*Com informações das agências de notícias EFE e AP