PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Caixa-preta não indica explosão de avião russo; país ainda não descarta terror

Equipe de resgate retira destroço do avião militar Tu-154 que caiu no mar Negro - Ministério da Emergência russa/ AFP
Equipe de resgate retira destroço do avião militar Tu-154 que caiu no mar Negro Imagem: Ministério da Emergência russa/ AFP

Do UOL, em São Paulo

29/12/2016 09h21

A análise das caixas-pretas do avião russo que caiu no domingo (25) no mar Negro aponta "que não houve explosão" a bordo, disse nesta quinta-feira (29) um responsável do exército russo, sem descartar a hipótese de terrorismo.

"Não houve explosão a bordo", afirmou à imprensa o general Serguei Bainetov, diretor do serviço de segurança aérea da aviação russa.

"Mas um ato terrorista não é necessariamente uma explosão, então não excluímos" esta hipótese, acrescentou, ressaltando que um atentado pode ser provocado por uma "ação mecânica".

O acidente com o avião militar russo Tu-154 no mar Negro com 92 pessoas a bordo ocorreu devido a um "funcionamento anormal" da aeronave, disse o ministro russo dos Transportes, Maxime Sokolov.

"Está claro que houve um funcionamento anormal da técnica. Os especialistas deverão esclarecer as razões e este é o motivo pelo qual foi criada uma comissão especial", disse Sokolov em uma entrevista à imprensa.

Os serviços de emergências da Rússia afirmaram  que foi concluída a operação de resgate na região do Mar Negro. "A fase ativa da busca" de destroços da aeronave acidentada foi "concluída", informou às agências russas um porta-voz do Ministério de Situações de Emergências do país.

Os mergulhadores conseguiram resgatar das águas "os corpos de 20 pessoas e os restos mortais de quase todos os falecidos".

Os últimos dados oficiais, divulgados ontem pelo Ministério da Defesa, falam do resgate de 239 fragmentos de corpos. Será necessário uma análise de DNA, comparando com mostras genéticas de seus familiares, para a identificação dos corpos.

A busca dos destroços do avião, segundo informou um porta-voz das forças de segurança russas, também também foi concluída depois que "todos os fragmentos principais do Tu-154, incluído todas suas peças e grandes equipamentos, que foram localizados e levados para a superfície".

A bordo da aeronave, além de seus oito tripulantes, viajavam 64 membros do coro e conjunto de dança Alexandrov do Exército russo, nove jornalistas, oito militares, dois funcionários e a famosa médica Elizaveta Glinka, presidente de uma fundação humanitária. (Com as agências internacionais)

Internacional