Obama transfere dez presos de Guantánamo, incluindo guarda-costas de Bin Laden

Do UOL, em São Paulo

  • Lucas Jackson/Reuters

O Departamento de Defesa dos EUA divulgou nesta terça-feira (17) a lista de dez presos de Guantánamo transferidos antes de o presidente Barack Obama deixar o cargo. Entre eles está Mohammed Al-Ansi, um dos guarda-costas de Osama bin Laden e teria feito parte do grupo que planejou os atentados de 11 de Setembro.

No dia anterior, o Ministério de Relações Exteriores de Omã confirmou ter recebido no país 10 detidos da prisão militar americana. A nota afirma que eles viverão no sultanato "de forma provisória", e não revelou as identidades dos presos.

Obama não conseguiu cumprir sua promessa de fechar a prisão. Situada em uma base militar americana na ilha cubana, Guantánamo representa para muitos países de todo o mundo os excessos da luta antiterrorista empreendida pelos Estados Unidos após os atentados de 11 de setembro de 2001.

No entanto, Obama conseguiu reduzir consideravelmente o número de presos detidos ali. Quando chegou à Casa Branca, em janeiro de 2009, havia 242. Com a transferência, restam 45 detidos em Guantánamo.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que assumirá o cargo nesta sexta-feira, já expressou sua oposição a qualquer nova transferência de detidos desta prisão militar a outros países.

Washington mantém boas relações com Omã, país que desempenhou com frequência um papel de mediador no Oriente Médio, especialmente entre as duas potências regionais rivais: Arábia Saudita e Irã. O sultanato também contribuiu para obter a libertação de reféns americanos detidos no Iêmen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos