Testemunhas relatam pânico e confusão no momento de ataque em Londres

Do UOL, em São Paulo

No momento do ataque que deixou pelo menos 4 mortos em Londres, incluindo um policial e o agressor, a área próxima ao Parlamento estava cheio de pessoas, como é comum na região turística da capital britânica.

Testemunhas relataram os momentos de pânico e confusão na ponte Westminster e no prédio do Parlamento:

"Ouvi o barulho de uma batida e vi um carro se chocando com a grade do Parlamento. Achei, primeiro, que tinha sido um acidente. Depois ouvi outros ruídos agudos, que podem ter sido tiros, não tenho certeza. Saiu muita fumaça do carro, pensei que pudesse explodir. Ouvi alguém dizer que o carro havia atropelado pessoas na ponte. Vi alguém caído no chão do lado do carro. Parecia um ciclista. O carro estava na grade." (Kirsten Hurrell, dona de uma banca de jornais próxima ao Parlamento, ao jornal britânico "Guardian")

"Nós estávamos tirando fotos do Big Ben quando todo mundo começou a correr e vimos um homem de 40 anos carregando uma faca de cerca de vinte centímetros. Então ouvimos três tiros. Atravessamos a rua e vimos o homem sangrando no chão." (Jayne Wilkinson, à agência britânica Press Association)

"Vi um carro que havia claramente se desviado da rua em direção ao portão do Parlamento. Percebi que havia um corpo do lado dele, muito sangue e pessoas em volta. Logo depois ouvi alguns tiros, e nessa hora ficou claro que não tinha sido um acidente." (Matt Haikin, 44, ao "Guardian")  

"Ouvi um barulho que parecia uma colisão. Olhei pela janela e vi alguém no chão, que parecia ferido, depois vi outra pessoa caída. Aí comecei a filmar. Foi quando vi mais três pessoas no chão, uma delas perdendo muito sangue. O que vi foi um incidente envolvendo pelo menos cinco pessoas gravemente feridas." (Radoslaw Sikorski, ex-ministro das Relações Exteriores da Polônia, à BBC)

"Estávamos no café [do Parlamento] quando aconteceu. Nós vimos policiais caídos no chão. Nós vimos muita comoção. Todos que estavam na rua foram instruídos a entrar no café. Muitos estavam gritando. Não nos contaram nada sobre pessoas mortas, estamos acompanhando tudo por meio das redes sociais. Não estão nos dizendo nada aqui dentro." (Michelle Langham, à BBC)

"Havia muitas pessoas na Casa Portcullis, onde ficam os gabinetes, e, enquanto estávamos atravessando para voltar, ouvimos gritos e vimos policiais com armas em mãos, apontando para o portão. Ouvi então quatro disparos em rápida sucessão. Instantaneamente, chegaram policiais ao nosso redor dizendo para nos abaixarmos e irmos para o fundo. E nós fomos para trás das paredes do prédio." (Grant Shapps, parlamentar do Partido Conservador, à BBC)

"Eu estava andando da Casa Portcullis pelo caminho do jardim do Palácio Velho quando ouvi disparos. Levou-se um momento para perceber que eram tiros de revólver e, naquela altura, pessoas estavam gritando: 'Se abaixa, vai para trás!' No fundo, nós sempre temos a noção de que algo terrível pode acontecer. A primeira coisa é: são realmente armas de fogo? Será que você não ouviu errado? Mas a reação dos policiais ao redor deixou claro que era uma situação muito séria." (Nicky Morgan, ex-secretário de Educação, à agência de notícias AP, via BBC)

"Quando saí da estação de Westminster, estava claro que alguma coisa muito séria tinha acontecido. Eu fui guiado até a ponte e, olhando para a situação, vi que havia pelo menos oito pessoas no asfalto do lado oeste... E então um carro bateu na parte da ponte que fica ao sul." (Richard Tice, à BBC

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos