Imigração ilegal brasileira não é uma preocupação, diz chefe da diplomacia britânica no Brasil

Talita Marchao

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Wasim Mir, encarregado de negócios da embaixada do Reino Unido no Brasil

    Wasim Mir, encarregado de negócios da embaixada do Reino Unido no Brasil

O Brexit não deve ser uma preocupação para os brasileiros que vivem no Reino Unido. É o que afirma o encarregado de negócios do país no Brasil, Wasim Mir, a autoridade diplomática máxima do reino em território brasileiro. De acordo com o diplomata, a imigração ilegal brasileira não é vista como um problema pelo governo britânico. E para os brasileiros que trabalham no país com cidadania europeia, Mir assegura que a solução para o impasse é uma das prioridades na negociação iniciada nesta quarta-feira (29) entre o Reino Unido e a UE.

Mir assumiu as responsabilidades de embaixador quando Alex Ellis deixou o posto para assumir um cargo na direção das negociações da saída do Reino Unido da União Europeia. A previsão da diplomacia britânica é que o novo embaixador, Vijay Rangarajan, assuma o cargo a partir de junho --Rangarajan ocupa um cargo na representação britânica junto à UE.

Em sua conversa com o UOL por telefone, o encarregado de negócios fez questão de tranquilizar os brasileiros que vivem no país e afirmou que o Reino Unido tem interesse em negociar um acordo com o Mercosul assim que deixar o bloco europeu.

O brasileiro corre o risco de perder a isenção de visto para entrar no Reino Unido?

Wasim Mir garante que a isenção de visto de turismo para o Brasil será mantida. "Nada muda sobre a política de vistos nesse momento, e manteremos a nossa política de isenção de vistos com o Brasil. No futuro, gostaríamos de continuar com o atual intercâmbio de pessoas com o Brasil, este é um ponto muito importante para nós", afirma o diplomata.

Dados do governo britânico mostram que o número de visitantes brasileiros só aumenta. Em 2015, foram registrados 324.172 turistas brasileiros no país; em 2014, 293.4 mil; em 2013, 257.5 mil. Vale lembrar que o Reino Unido não fazia parte do Acordo de Schengen, que abre as fronteiras entre os países integrantes do bloco, e já adotava políticas próprias de imigração e trânsito de pessoas.

Passageiros brasileiros também estão na lista de países em que passageiros considerados frequentes --que visitaram o país ao menos quatro vezes nos últimos dois anos-- podem utilizar uma fila preferencial na imigração, passando mais rápido pela imigração. 

Como ficam os brasileiros que trabalham no Reino Unido com cidadania europeia?

De acordo com Wasim Mir, este ponto da negociação com a UE é prioridade, e o caso dos brasileiros que vivem no país com a cidadania de qualquer país-membro da UE serão incluídos na decisão. "Theresa may, nossa primeira-ministra, disse que esta é uma das primeiras coisas que nós gostaríamos de resolver o quanto antes, e os nossos parceiros da União Europeia também já disseram que esta negociação é uma das prioridades. Começamos com a carta que foi enviada para a UE, que inicia o processo de saída. Mas acredito que esta é a primeira coisa que seja discutida para resolvermos", disse o diplomata.

"Temos hoje mais de 100 mil brasileiros que vivem hoje legalmente no Reino Unido. E continuaremos abertos aos brasileiros, e não só com o sistema de visitas sem visto. Mas também para os negócios, para empresas brasileiras fazerem negócios e investimentos no Reino Unido", diz Wasim.

E os imigrantes brasileiros que estão ilegalmente no Reino Unido?

"Não temos, neste momento, um problema com a imigração ilegal de brasileiros. É importante dizer que a grande maioria de brasileiros no Reino Unido estão no país de forma legal. São pessoas que estudam, trabalham com visto", diz Wasim.

O diplomata afirma ainda que a imigração ilegal não é um assunto relacionado com o rompimento com a UE, e trata-se de uma questão interna britânica. "Temos autoridade sobre isso e vamos continuar com a mesma política adotada atualmente. Neste momento, estamos discutindo apenas a saída da União Europeia, a política de imigração não terá um novo sistema. Nada muda", afirma Wasim, descartando um possível endurecimento das políticas imigratórias contra ilegais.

Como o Brexit afetaria as negociações econômicas com o Mercosul?

Para Wasim, o Reino Unido tem uma economia aberta, e gostaria de continuar assim, "Somos muito ambiciosos e queremos negociar acordos de livre-comércio com outros países, incluindo o Brasil, no futuro", diz o encarregado de negócios. Entretanto, ele afirma que as atuais negociações do bloco sul-americano com a União Europeia também são importantes para o Reino Unido, já que o país ainda está ligado ao bloco, apesar do processo de saída. "Estas negociações vão continuar sendo importantes quando sairmos do bloco europeu, afinal a UE é uma fonte importante tanto para o Reino Unido quanto para o Mercosul", diz.

O diplomata lembra ainda que enquanto a saída da UE estiver em processo, o Reino Unido não pode negociar acordos de comércio com outros países. "Mas quando concluirmos o processo de saída, teremos a oportunidade de fazer nossas negociações para um acordo com o Mercosul, e isto é algo que nós gostaríamos de fazer no futuro. Poderemos criar oportunidades dos dois lados, tanto para os britânicos como para os países-membros do Mercosul", ressalta Wasim.

De acordo com o consulado britânico, mais de 100 empresas brasileiras já se estabeleceram no Reino Unido --o país tem um ministério específico para "Comércio Internacional". No Brasil, a diplomacia britânica mantém ainda um departamento especializado no processo de internacionalização das empresas brasileiras interessadas em migrar para o Reino Unido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos