Rússia identifica suspeito de ataque em metrô; número de mortos sobe para 14

Do UOL, em São Paulo

O Comitê de Investigação da Rússia informou nesta terça-feira que identificou o suspeito de ter sido o homem-bomba que deixou pelo menos 14 mortos e 49 feridos em uma estação de metrô de São Petersburgo na segunda-feira (3).

Segundo o comunicado do Comitê, os investigadores "estabeleceram que a bomba artesanal pode ter sido ativada por um homem cujos restos mortais foram encontrados no terceiro vagão do trem."

Ao mesmo tempo, os serviços secretos do Quirguistão informaram que o suspeito é um cidadão do país centro-asiático poderia ser o autor do atentado que ontem deixou 14 mortos.

"Provavelmente, o autor do atentado terrorista do dia 3 de abril é um cidadão do Quirguistão naturalizado russo", disse à agência "Interfax", o porta-voz do serviço de segurança da República, Rajat Sulaimanov. O suspeito foi identificado como Akbarzhon Jalilov, nascido em 1995, disse o porta-voz, afirmando que trabalham estreitamente com os serviços de segurança russos.

A agência de notícias russa RIA Novosti relatou que as autoridades receberam nesta terça um alerta sobre um possível segundo ataque na mesma estação de metrô de Sennaya Ploshchad. A agência de notícias Interfax disse que vários caminhões dos bombeiros estavam do lado de fora da estação, que foi fechada.

Explosão em metrô deixa mortos em São Petersburgo

Luto

O balanço do atentado cometido na segunda-feira no metrô de São Petersburgo subiu a 14 mortos, anunciou nesta terça-feira a ministra da Saúde da Rússia, Veronika Skvortsova. Onze pessoas morreram no local do ataque e três quando eram transportadas de ambulância ou em um hospital da cidade, a segunda maior da Rússia.

A cidade de São Petersburgo amanheceu hoje de luto, enquanto as autoridades russas seguem buscando aos culpados do atentado.

As bandeiras tremulam a meio mastro na segunda maior cidade da Rússia, onde foi decretado três dias de luto, mas a normalidade voltou em parte ao reabrir nesta manhã as linhas do metrô, segundo informou em comunicado o escritório do governador.

O presidente russo, Vladimir Putin, que ontem se encontrava em São Petersburgo no momento da explosão, colocou uma coroa de flores, no improvisado local de homenagens para vítimas onde dezenas de cidadãos tinham colocado flores e velas.

O atentado ocorreu na segunda-feira às 14h40 (horário local, 8h40h de Brasília) entre duas estações da linha azul, Sennaya Ploschad e Tekhnologitchesky Institut, mas o condutor do trem atingido não parou no túnel e seguiu até a primeira estação, o que facilitou as tarefas de salvamento.

Outra bomba caseira foi desativada pelo esquadrão antibomba na estação de metrô Ploschad Vosstania, em frente à principal estação ferroviária da cidade (Moskovskiy). 

Até agora ninguém reivindicou a autoria do atentado. As autoridades afirmam que o estão tratando como um ato de terrorismo, mas não há confirmação oficial de qualquer elo com extremistas islâmicos. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos