Premiê sueco confirma que ataque com caminhão foi terrorismo; quatro morreram

Do UOL, em São Paulo

O primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven, confirmou que o ataque com um caminhão a uma multidão no centro de Estocolmo nesta sexta-feira (7) é um atentado terrorista. Ele informou ainda que uma pessoa foi presa, suspeita de envolvimento no ataque.

Reprodução/Aftonbladet
Imagens de uma pessoa sendo presa na região do ataque foi divulgada pela imprensa local
O veículo, que pertence a uma famosa cervejaria local e aparentemente foi roubado pouco antes do ataque, invadiu uma loja de departamento e atropelou às 14h53 (hora local, 9h53 em Brasília) desta sexta pedestres em Drottninggatan, um grande calçadão turístico e de compras no centro da capital da Suécia.

O local, que leva ao centro histórico da cidade, é fechado para veículos. 

A polícia confirma quatro mortos e vários feridos, mas a rádio pública sueca já informa que são ao menos cinco vítimas.

Disparos também foram ouvidos no local.

No Twitter, o governo sueco escreveu: "Suécia foi atacada. Todas as indicações são de que é um ato de terrorismo. Ser vigilante e ouvir as informações da polícia."

As autoridades evacuaram e interditaram a área e pediram para a população evitar o centro. O trânsito de trens e metrô na estação central, próxima ao local do atentado, foi suspenso, assim como a sessão de hoje no parlamento. 

De acordo com o site Aftonbladet, o autor do atentado teria roubado o caminhão da Spendrups enquanto o motorista entregava o produto nos restaurantes da cidade. O diretor de comunicação da cervejaria, Maarten Lyth, afirmou que "quando o motorista foi descarregar a mercadoria, alguém saltou dentro do caminhão e saiu correndo".

Segundo Lyth, não foi possível identificar quantas pessoas tomaram posse do caminhão, mas o piloto "está ileso, porém chocado".

Reuters/TT News Agency/Anders Wiklund
Caminhão atropelou e matou pedestres no centro de Estocolmo

Até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas e os feridos no atentado, segundo o embaixador do Brasil na Suécia Marcos Vinícius Pinta Gama.

"Estocolmo já enfrentou diversas situações de alerta. Mas essa é a primeira vez que acontece um atentado dessa natureza em muitos anos", disse. "A sociedade sueca é muito aberta. Historicamente, recebeu e recebe imigrantes, exilados. Essa política se mantém no governo atual", pontuou em entrevista à rádio BandNews FM.

Mais um ataque com caminhão

Desde que a Al Qaeda pediu, em 2010, que seus seguidores usassem caminhões como armas, diversos ataques em que caminhões ou carros atropelaram multidões aconteceram na Europa.

Em Londres, um homem atropelou no dia 22 de março pedestres com um carro na ponte de Westminster, matando quatro, e depois esfaqueou um policial até a morte antes de ser atingido por um tiro pela polícia.

O Estado Islâmico reivindicou responsabilidade tanto pelo ataque em Nice, na França, em julho do ano passado, quando um caminhão deixou 86 mortos durante uma celebração do dia da Bastilha, quanto pelo ataque em Berlim, em dezembro, quando um caminhão invadiu um mercado de natal, deixando 12 mortos. (Com agências internacionais) 

Per Haljestam/Reuters
Ambulância presta socorro a pedestres no centro de Estocolmo

Apoio

Considerado um dos principais monumentos do mundo, a Torre Eiffel terá suas luzes apagadas a partir da meia-noite de sábado (8) em homenagem às vítimas do atentado em Estocolmo, na Suécia. O anúncio foi feito pela prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo, por meio de uma publicação em sua conta no Twitter. "Esta noite, meia-noite, a cidade de Paris apagará a Torre Eiffel em homenagem às vítimas de Estocolmo", escreveu. Hidalgo também expressou solidariedade ao país. "Minha mais profunda solidariedade a minha amiga e prefeita de Estocolmo, Karin Wanngard, e a toda população sueca".

A União Europeia ofereceu apoio e solidariedade à Suécia. "Um ataque a qualquer um dos nossos estados membros é um ataque a nós todos", disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. Ele aproveitou para enviar condolências aos familiares das vítimas e elogiar o "trabalho corajoso" de quem socorreu os feridos.

O ministro de Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, ofereceu a solidariedade de seu governo com a Suécia. "Nossos pensamentos estão neste momento com aqueles que perderam a vida, os feridos e seus familiares", disse o ministro, em um comunicado difundido por seu departamento. "Mais uma vez ficamos abalados com uma notícia dessas, agora em Estocolmo", disse De Maizière.

Já o ministro das Relações Exteriores da Itália, Angelino Alfano, condendou o ataque. "Quero expressar a forte condenação e condolências aos vizinhos da Itália, ao Estado e ao povo sueco pelo terrível atentado que aconteceu há poucas horas em Estocolmo", disse Alfano. Segundo o ministro, "a Itália, também como presidente do G7 e membro do Conselho de Segurança das Nações Unidas, continuará a se empenhar ativamente na luta contra o terrorismo em favor da paz e da segurança internacional", ressaltou.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, enviou um telegrama ao rei Carlos XVI Gustavo, da Suécia, para prestar condolências pelo atentado. "As pessoas no nosso país conhecem diretamente as atrocidades do terrorismo internacional. Neste momento difícil, os russos estão de luto junto com o povo sueco", escreveu Putin, informou o Kremlin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos