Canadense vítima de ataque em Londres morreu nos braços do noivo

Do UOL, em São Paulo

  • Mark Ferguson/Facebook

    A canadense Christine Archibald com seu noivo, Tyler Ferguson

    A canadense Christine Archibald com seu noivo, Tyler Ferguson

A canadense Christine Archibald é a primeira vítima identificada dos ataques terroristas ocorridos em Londres na noite deste sábado (3).

Chrissy, como é chamada pelos familiares, morreu nos braços de seu noivo, Tyler Ferguson. "Ele a segurou e a viu morrer em seus braços", disse a irmã de Ferguson, Cassie Ferguson, em entrevista à TV canadense CBC News. "Ele está dividido em um milhão de pedaços", completou.

Archibald, 30, nasceu na cidade de Castlegar, na província canadense da Colúmbia Britânica. Ela foi atacada por um dos terroristas a facadas na London Bridge, importante ponto turístico da capital inglesa. No local, uma van avançou em alta velocidade contra pedestres. Em seguida, a van parou em uma região com vários bares e três homens começaram a esfaquear pessoas que estavam no local.

A jovem estava na capital britânica apenas para passar um final de semana ao lado do noivo. De acordo com o irmão de Ferguson, Mark Ferguson, o casal vivia na Holanda. "Eles estavam muito apaixonados e tinham planos para o futuro", disse Mark. "É obviamente muito, muito devastador para ele. O amor de sua vida acabou de ser arrancado dele".

Patrick Audet, porta-voz da família Archibald, afirmou que Chrissy trabalhava em um abrigo para sem-teto em Calgary, no Canadá, antes de se mudar para a Europa com o noivo. "Ela tinha espaço em seu coração para todos e acreditava firmemente que cada pessoa deveria ser valorizada e respeitada", disse Audet para a CBC News. "Ela não teria entendido a crueldade que causou a morte dela", completou.

Daniel Sorabji/AFP
Equipes de resgate socorrem vítimas do ataque em Londres

Sete pessoas morreram e outras 48 ficaram feridas no ataque, que durou oito minutos. Na manhã deste domingo (4), a polícia britânica confirmou que uma pessoa foi atingida por uma bala na troca de tiros entre policiais e os três suspeitos, mas passa bem. Cerca de 50 disparos foram dados no confronto.

Um policial de trânsito sofreu graves ferimentos na cabeça, no rosto e nas pernas, mas não corre risco de morte, segundo a BBC. Outro policial que estava de folga também ficou ferido.

Em discurso na manhã deste domingo (4), a primeira-ministra britânica, Theresa May, classificou os ataques como atos de terrorismoO grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques.

A polícia britânica prendeu 12 pessoas no bairro de Barking, zona leste de Londres, em conexão com os ataques na manhã de domingo. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos