PUBLICIDADE
Topo

Internacional

O que os norte-coreanos pensam sobre a chance de uma nova guerra com os EUA?

27.jul.2017 - Estudantes celebram 64º aniversário do armistício que encerrou a Guerra da Coreia durante evento em Pyongyang - AP Photo/Wong Maye-E
27.jul.2017 - Estudantes celebram 64º aniversário do armistício que encerrou a Guerra da Coreia durante evento em Pyongyang Imagem: AP Photo/Wong Maye-E

Da Associated Press

Em Pyongyang

29/07/2017 04h00

Os Estados Unidos e a Coreia do Norte estão se aproximando de uma outra guerra?

Embora às vezes seja atribuída como "A Guerra Esquecida" nos Estados Unidos, ela não é nada esquecida na Coreia do Norte. O aniversário do armistício da Guerra da Coreia, em 27 de julho, é celebrado como um grande feriado nacional chamado "Dia da Vitória na Guerra de Liberação da Pátria" e é também o final do "Mês Anti-Imperialismo Americano", que começa em 23 de junho, o dia em que a Guerra da Coreia (1950-1953) começou.

Enquanto os jovens norte-coreanos foram às praças e espaços públicos na capital do país na quinta-feira (27) para participar de danças em massa e outras celebrações, a Associated Press perguntou a diversos estudantes universitários o que eles pensavam sobre a possibilidade de outra guerra explodir.

Previsivelmente, suas respostas refletem os comunicados oficiais do governo norte-coreano.

De um, a sugestão de que as conversas de paz podem funcionar. Do outro, um voto para que se mate até o último imperialista americano.

27.jul.2017 - Kim Hyo Sim, 21, estudante na Escola de Comércio de Pyongyang na Coreia do Norte - AP Photo/Wong Maye-E - AP Photo/Wong Maye-E
Imagem: AP Photo/Wong Maye-E

Kim Hyo Sim, 21, estudante na Escola de Comércio de Pyongyang:

"Os EUA estão sempre aplicando sanções no nosso país e tentando nos isolar. Mas assim como conquistamos uma vitória sob a liderança de nossos generalíssimos [na Guerra da Coreia], vamos vencer sob a liderança inteligente do Marechal Kim Jong-un. Eu diria que nossos dois países estão hoje nas mesmas condições de guerra do passado, então acho que a situação naquela época e hoje não são tão diferentes. Apesar de a gente não querer entrar em guerra contra ninguém, se os EUA provocarem uma guerra contra o nosso país, com certeza vamos vencer.

Os sistemas de defesa nacional do nosso país foram fortalecidos e os EUA estão agarrados de forma viciada nas sanções, então acho que há muito mais possibilidade de os EUA nos provocarem agora. Mas também estou muito confiante em uma vitória."

27.jul.2017 - Jo Kwang Song, 29, que cursa especialização em tecnologia da informação na Universidade Kim Sung-Il na Coreia do Norte - AP Photo/Wong Maye-E - AP Photo/Wong Maye-E
Imagem: AP Photo/Wong Maye-E

Jo Kwang Song, 29, que cursa especialização em tecnologia da informação na Universidade Kim Sung-Il

 "Como parte da jovem geração que está crescendo, não acho que teremos uma guerra porque temos o líder supremo Kim Jong-un e uma defesa nacional forte. Os EUA não provocarão uma guerra contra a gente. Não estou nada preocupado, porque se uma guerra for iniciada contra o nosso país nós iremos ganhar.

Se a guerra começar, eu mesmo pegarei em armas.

Desejamos a paz, é claro. Mas se os EUA continuam provocando o nosso país, a paz nunca virá. Os EUA deveriam procurar negociações pacíficas. Mas, de qualquer forma, vamos seguir o marechal e vencer sempre. Os EUA deveriam pôr um fim à política hostil contra o nosso país."

27.jul.2017 - Ri Su Jong, 18, também estudante na Escola de Comércio de Pyongyang na Coreia do Norte - AP Photo/Wong Maye-E - AP Photo/Wong Maye-E
Imagem: AP Photo/Wong Maye-E

Ri Su Jong, 18, também estudante na Escola de Comércio de Pyongyang:

"Vamos seguir as ordens do nosso líder supremo Kim Jong-un. Lançamos nosso míssil balístico intercontinental e estaremos completamente preparados. Se mais uma guerra começar, vamos celebrar outra grande vitória, como a que estamos celebrando hoje. Se os EUA nunca encostarem na gente, então tudo ficará bem."

27.jul.2017 - Jon Kuk Chol, 31, estudante na Universidade de Impressão e Publicação de Pyongyang na Coreia do Norte - AP Photo/Wong Maye-E - AP Photo/Wong Maye-E
Imagem: AP Photo/Wong Maye-E

Jon Kuk Chol, 31, estudante na Universidade de Impressão e Publicação de Pyongyang:

"A guerra não vai acontecer, porque nosso país possui armas nucleares e mísseis balísticos intercontinentais. Mas se começar uma guerra, vamos matar todos os imperialistas para que não haja ninguém vivo para assinar os papéis de rendição."

Turistas mostram a Coreia do Norte

UOL Notícias

Internacional