Mulher "xereta" mensagens no celular, descobre crime e ajuda polícia a prender homem

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/San Jose Police

    Michael Kellar e Gail Burnworth foram presos após denúncia de passageira de avião

    Michael Kellar e Gail Burnworth foram presos após denúncia de passageira de avião

Quem nunca teve a curiosidade de ler o conteúdo das mensagens do celular de um desconhecido em um lugar público? Na última segunda-feira (31), uma mulher "xeterou" a conversa alheia e acabou descobrindo um crime grave. O caso ocorreu no aeroporto internacional de San Jose, no estado da Califórnia (Estados Unidos).

Uma passageira denunciou um homem após ver o conteúdo de uma de suas conversas no celular, na qual falava sobre abusar sexualmente de uma criança.

Segundo informações da "NBC", a mulher conseguiu fotografar trechos da conversa que Michael Kellar, de 56 anos, estava tendo com uma moça durante o voo em que estavam, que havia saído de Seattle horas antes.

Ela então teria informado sobre o conteúdo das mensagens para a tripulação, que notificou o Departamento de Polícia de San Jose quando o avião pousou. Ao desembarcar, Kellar foi detido pelos agentes.

"A conversa era extremamente específica com relação ao conteúdo sexual e a forma como ele seria feito em crianças", revelou Brian Spears, sargento da Polícia de San Jose. "Algumas das mensagens falavam não só de abuso infantil, mas também envolviam animais".

Após a prisão, os policiais conseguiram confirmar a identidade da outra suspeita do crime. Gail Burnworth, de 50 anos, moradora da cidade de Tacoma, no estado de Washington, era a pessoa com quem Kellar trocava as mensagens.

Por fim, a investigação levou ainda a localização de duas crianças, de sete e cinco anos, que eram sustentadas por Gail e seriam as vítimas do casal. A polícia não chegou a confirmar se elas eram parentes de Burnworth, mas trabalha com essa hipótese.

Agora, Michael deve responder pelos crimes de tentativa de abuso sexual infantil e crime sexual, enquanto Gail foi acusada por exploração sexual de menor, estupro de incapaz em primeiro grau e por exposição de menor a conduta sexual explícita.

Sobre a mulher que denunciou o caso, Spears afirmou que ela é a verdadeira heroína da história: "Foi a responsável por prevenir um evento horrível e catastrófico. Se não fosse por ela, mais um caso de abuso sexual infantil teria acontecido".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos