Seis soldados franceses ficam feridos após atropelamento; polícia busca suspeito

Do UOL, em São Paulo

  • thierry Chappe/AFP Photo

    Equipes de resgate atendem soldados atingidos por veículo no subúrbio de Paris

    Equipes de resgate atendem soldados atingidos por veículo no subúrbio de Paris

Seis soldados franceses ficaram feridos, dois deles com gravidade, após serem atropelados por um veículo nesta quarta-feira (9) em Levallois Perret, perto de Paris. O motorista fugiu do local.

Os soldados fazem parte de uma patrulha antiterrorista, da chamada Operação Sentinela, que foi posicionada em pontos estratégicos após o massacre de Charlie Hebdo, em 7 de janeiro de 2015. Eles deixavam um quartel quando foram atingidos.

As forças de segurança fazem buscas pelo veículo, um BMW, e, por ora, não descartam nenhuma hipótese sobre a motivação do motorista.

Benoit Tessier/Reuters
Policiais e militares trabalham na cena do atropelamento dos seis soldados franceses
"Não há dúvida de que este foi um ato deliberado", disse o prefeito de Levallois-Perret, Patrick Balkany, à BFMTV.

De acordo com a emissora, o incidente ocorreu às 8h15 da hora local (3h15 em Brasília).

Balkany afirmou que o carro estava "pré-posicionado" em um pequeno beco, esperando que as tropas do 35º Regimento de Infantaria saíssem do prédio, que fica em frente a um parque em uma região de pouco trânsito. O carro teria avançado sobre o soldados na contramão.

O Ministério Público de Paris abriu investigação para apurar as circunstâncias do atropelamento, segundo informa a agência AP.

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, ofereceu "todo seu apoio" aos feridos, acrescentando: "Espero de todo o meu coração que o agressor seja preso rapidamente".

A ação ocorre quatro dias depois que um jovem de 18 anos tentou entrar com uma faca na Torre Eiffel aos gritos de "Deus é Grande" em língua árabe. O agressor, que foi rendido pelas forças de segurança, tinha uma permissão do hospital psiquiátrico em que estava internado e para onde voltou após ser examinado por especialistas.

A Procuradoria Antiterrorista abriu investigação por "tentativa de assassinato" e por "associação criminosa com fins terroristas" depois que, durante a sua detenção, o jovem assegurou que mantém contato com o grupo jihadista Estado Islâmico (EI). (Com informações da Agência Efe.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos