Ativista LBGT é morto por polícia de faculdade nos EUA e caso gera polêmica

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/Facebook

O Departamento de Polícia da Geórgia, nos Estados Unidos, abriu um inquérito para investigar a morte de um estudante LGBT dentro do campus da Georgia Tech na noite do último sábado (14). Scout Schultz, de 21 anos, foi atingido por um agente da polícia da própria universidade durante uma discussão e acabou morrendo no hospital. Um possível uso de excessiva força por parte da polícia gerou polêmica em torno do caso.

Segundo informações da BBC, a polícia da Georgia Tech foi chamada após testemunhas informarem que uma pessoa armada estava caminhando pelo estacionamento do campus. Ao chegar ao local, os agentes encontraram Scout com uma faca e, supostamente, com uma arma.

Imagens feitas por outros estudantes, que acompanharam o caso das janelas dos dormitórios, mostram alguns policiais tentando dialogar com Scout, que não aparenta segurar nenhum tipo de arma de fogo. Após alguns minutos de conversa, em que os agentes pedem para que ele solte a faca, um tiro é disparado e acaba atingindo Scout (veja o vídeo abaixo).

Após o incidente, o estudante foi levado para o Hospital de Atlanta, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu no início da manhã do último domingo (17). Agora, o Departamento de Polícia da Geórgia promete investigar como tudo aconteceu e quais foram os motivos que levaram os policiais a usarem força letal.

"Eu ainda não entendo porque eles não usaram algum tipo de força não letal para fazer Scout parar, como uma arma de choque ou spray de pimenta", lamentou a mãe do estudante, Lynne Schultz. "Ele sofria de depressão e até tentou se matar em 2015, mas nunca imaginei que ele pudesse fazer mal para qualquer pessoa".

Ativista, Scout era o presidente da Pride Alliance, um grupo que lutava pelos direitos dos alunos LGBT dentro da universidade. Em comunicado, a entidade lamentou a morte, chamando o estudante de 'força motora' do grupo: "Nos levou a fazer muito mais, seja em eventos ou em outras causas, sempre pensando no coletivo. Essa organização não estaria onde está hoje sem sua dedicação e trabalho duro".

Já a Geórgia Tech classificou o episódio como uma 'tragédia lamentável' e afirmou que dará todo o apoio que a família de Scout possa necessitar: "Lamentamos que algo assim tenha acontecido, interrompendo uma carreira que tinha muito potencial. Nossas orações estão com todos os que eram próximos a ele. Juntos, iremos superar esse triste episódio".

Veja o vídeo do caso - contém imagens fortes:

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos