PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Unilever nega que nome de novo sabonete tenha menção a líder da Coreia do Norte

Yonhap/Efe
Imagem: Yonhap/Efe

Colaboração para o UOL

29/09/2017 12h07

KJU, nome escolhido para uma nova linha de sabonetes da Unilever, colocou a multinacional numa espécie de saia-justa. O motivo? As letras são, também, a sigla de Kim Jong-un, o líder da Coreia do Norte que tem assustado o mundo com seus testes de mísseis.

Segundo a rede americana Bloomberg, Alan Jope, chefe de cuidados pessoais da empresa, teve que se pronunciar sobre o tema durante reunião com investidores na última quinta-feira. E deixou claro que tudo não passou de uma coincidência.

KJU - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"Foi só depois de termos registrado (a marca) que eu percebi que também representava Kim Jong-un, mas isso não importa", disse ele.

Fato é que, além da sigla que remete ao líder norte-coreano, outra coincidência é que esta linha de sabonetes desenvolvida por seis meses faz parte de um plano da empresa de ganhar espaço justamente no mercado asiático.

A Unilever inclusive desembolsou recentemente 2,27 bilhões de euros (R$ 8,49 bilhões, aproximadamente) para adquirir a Carver Korea, que anteriormente era de propriedade dos grupos Bain e Goldman Sachs.

Vale ressaltar também que o KJU será inicialmente comercializado na China, considerada a maior aliada do regime de Kim Jong-un.

Enquanto isso, nos Estados Unidos, hoje o maior alvo norte-coreano, uma busca no Google com estas letras é direcionada diretamente a links relacionados ao ditador.

Internacional