Chega a 15 o número de mortos em incêndios no norte da Califórnia

Do UOL, em São Paulo

  • Kent Porter/The Press Democrat via AP

Pelo menos 15 pessoas morreram pelos incêndios no norte da Califórnia, nos Estados Unidos, que desde o último domingo podem ter destruído mais de 46,5 mil hectares, segundo a última atualização oferecida nesta terça-feira (10) pelo Departamento Florestal e de Proteção contra Incêndios da Califórnia.

As mortes foram causadas pelos focos declarados nos condados de Sonoma, Mendocino, Napa e Yuba. As autoridades explicaram que pelo menos 1.500 edifícios foram destruídos pelas chamas de 17 incêndios diferentes que se alastraram por nove condados do norte do estado.

O escritório do xerife do condado de Sonoma disse hoje que a polícia recebeu relatos de cerca de 150 pessoas desaparecidas. "Temos certeza que muitas dessas pessoas serão encontradas a salvo e reunidas com seus entes queridos, mas, infelizmente, estamos preparados para encontrar mais vítimas", acrescentou o xerife.

Os serviços de emergência assinalaram que os fortes ventos que ajudaram o fogo a se propagar com rapidez perderam força, o que, junto com a queda das temperaturas, contribuiu para que os bombeiros progredissem em seus trabalhos para controlar os incêndios durante a última noite.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, declarou na segunda-feira o estado de emergência nos condados atingidos pelo fogo. A intensidade das chamas obrigou bombeiros e socorristas e se concentrarem na retirada de moradores, mesmo que isso significasse a destruição de estruturas urbanas pelo fogo. Mais de 20 mil pessoas deixaram suas casas.

Os incêndios começaram, por causas ainda desconhecidas, na noite de domingo, por volta das 22h locais (3h da segunda-feira em Brasília) e se alastraram a grande velocidade a partir do condado de Napa. Autoridades afirmaram que incêndios florestais são comuns na Califórnia em outubro, mas relataram estranhar a erupção de tantos focos ao mesmo tempo.

Vinhedos destruídos

As chamas estão se espalhando por icônicas regiões produtoras de uvas e vinhos de Napa e Sonoma, um dos destinos mais pitorescos e adorados do Estado, ameaçando o sustento de dezenas de milhares de pessoas e destruindo valiosos vinhedos e vinícolas dos EUA. 

A indústria vitivinícola da Califórnia atraiu 23,6 milhões de turistas e vendeu US$ 34,1 bilhões em valor no varejo nos EUA em 2016, segundo o Wine Institute. No Vale de Napa e no Vale de Sonoma são produzidos os vinhos de melhor qualidade do estado.

"Estamos todos em choque e tentando ajudar nossos companheiros produtores e vizinhos no que podemos", disse Heidi Soldinger, porta-voz da associação Napa Valley Grapegrowers.

A costa da Califórnia representa uma porcentagem relativamente pequena da produção dos EUA, sendo que Sonoma e Napa produzem, juntas, cerca de 10% dos vinhos da Califórnia. A maior parte das uvas do estado é cultivada no Vale de San Joaquin, onde a tonelada de uvas cabernet sauvignon sai por cerca de US$ 400. Em contrapartida, no Vale de Napa a mesma uva normalmente custa cerca de US$ 7.000 a tonelada, e pode ser vendida a até US$ 50.000. Os vinhos de alto padrão estão estimulando o crescimento da demanda nos EUA, sendo que as garrafas com preços de mais de US$ 10 registram os maiores ganho. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos