2017 é o ano com mais mortos em atentados a tiros da história dos EUA, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

  • Laura Skelding/AP Photo

    05.out.2017 - Governador Greg Abbot, do Texas, em vigília para as vítimas do massacre do atirador na Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs

    05.out.2017 - Governador Greg Abbot, do Texas, em vigília para as vítimas do massacre do atirador na Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs

O episódio do atirador que matou pelo menos 26 pessoas que estavam em um culto na Primeira Igreja Batista em Sutherland Springs, uma pequena cidade no Texas, fez com que, somente em 2017, fossem contabilizadas 112 mortes decorrentes de massacres desse tipo nos Estados Unidos.

A soma, feita a partir da base de dados da Mother Jones (uma publicação progressista norte-americana que geralmente usa um conceito federal para definir quais são esses incidentes) e divulgada no site da revista "Time", leva a conclusão de que 2017 é o ano com maior número de mortes em massa em tiroteios da história dos Estados Unidos.

O assassinato em massa a tiros mais violento do país ocorreu no mês passado, em Las Vegas, quando 58 pessoas foram mortas em um festival de música ao ar livre.

Também no mês de outubro, morreram três pessoas em um ataque em Edwood, no estado de Maryland; em 2 de novembro, um tiroteio em um supermercado matou outras três em Thornton, no estado do Colorado.

No primeiro semestre deste ano, foram registrados pelo menos outros seis massacres de menor proporção em outras cidades do país:

Para ver a cronologia dos massacres a tiro nos Estados Unidos realizada pela revista Time, clique aqui.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos