Caçador é perseguido e morto por leões em parque da África do Sul

Colaboração para o UOL

  • Tsvangirayi Mukwazhi/AP

    Leões são ilegalmente caçados em número crescente nos últimos anos na África do Sul

    Leões são ilegalmente caçados em número crescente nos últimos anos na África do Sul

Um caçador foi perseguido, morto e comido por um grupo de leões perto do Parque Nacional Kruger, na África do Sul. A informação foi divulgada pela polícia local nesta segunda-feira (12).

De acordo com os oficiais, pouco restava do corpo do caçador. Os restos mortais foram encontrados no último fim de semana em um matagal de um parque privado perto de Hoedspruit, na província do norte do Limpopo, onde os animais são ilegalmente caçados em número crescente nos últimos anos.

Leia também

Ao lado do corpo, foi encontrado um rifle carregado. A polícia ainda tenta identificar a identidade do homem. "Parece que a vítima estava caçando no parque quando foi atacado e morto por leões. Eles comeram quase todo o corpo. Deixaram apenas a cabeça e alguns restos", disse o porta-voz da polícia de Limpopo, Moatshe Ngoepe, à agência de notícias "AFP".

Em 2017, vários leões foram encontrados perto de uma fazenda na mesma província com a cabeça e as patas decepadas. As partes do corpo do leão são utilizadas na medicina tradicional.

Os caçadores ilegais também atacam rinocerontes na mesma região a fim de abastecer a crescente demanda por chifres na China, Vietnã e em países asiáticos que acreditam no uso medicinal desses objetos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos