Conselho de Segurança da ONU se reúne hoje a pedido da Rússia

Do UOL, em São Paulo

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá às 12h (horário de Brasília) neste sábado (14), a pedido da Rússia, depois que forças norte-americanas, britânicas e francesas realizaram ataques aéreos na Síria envolvendo mais de cem mísseis.

Moscou está em contato com os Estados Unidos e demais países que participaram dos ataques, informou neste sábado o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, segundo a agência de notícias RIA.
Ryabkov também disse em uma entrevista ao jornal Kommersant no sábado que Moscou estava interessada em cooperar com Washington sobre a Síria.

Neste sábado, a Presidência da Síria publicou, em sua conta oficial no Twitter, um vídeo de dez segundos que mostra Bashar al-Assad entrando em seu gabinete, com a legenda 'manhã de perseverança'.

Forças dos Estados Unidos, França e Reino Unido realizaram na noite desta sexta (13) ataques aéreos contra a Síria, em resposta a um ataque com gás venenoso que matou dezenas de pessoas na semana passada, na maior intervenção de potências ocidentais contra o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Leia também:

Putin condena ataques

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, condenou o ataque com mísseis liderado pelos Estados Unidos contra a Síria. Putin disse que as ações dos EUA na Síria pioraram a catástrofe humanitária e causaram dor aos civis, além de prejudicar as relações internacionais.

Trump diz estar preparado

O anúncio do ataque foi feito na noite da véspera pelo presidente Donald Trump, em um comunicado oficial dirigido à nação, feito da Casa Branca. Durante a transmissão do discurso, agências de notícias publicaram que explosões já eram ouvidas em Damasco. 

Trump disse estar preparado para manter a resposta até o governo de Assad parar com a utilização de armas químicas.

Os ataques representam a maior intervenção de potências ocidentais contra Assad na guerra civil síria, de sete anos, e colocam os EUA e seus aliados contra a Rússia, que interveio na guerra para apoiar Assad em 2015.

"Pouco tempo atrás, eu ordenei às Forças Armadas dos Estados Unidos que lançassem ataques precisos em alvos associados ao poderio de armas químicas do ditador sírio Bashar al-Assad", disse Trump em pronunciamento televisionado da Casa Branca.

Falando de Assad e de seu suposto papel no ataque com armas químicas na semana passada, Trump disse: "Essas não são as ações de um homem. São crimes de um monstro".

(Com agências) 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos