EUA estão prontos para atacar em caso de novos ataques, diz embaixadora

Do UOL, em São Paulo

O governo dos Estados Unidos está pronto para atacar mais uma vez a Síria se comprovar um novo uso de armas químicas, advertiu neste sábado (14) a embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley. "Se o regime sírio usar seus gases venenosos novamente, os Estados Unidos estarão carregados e engatilhados", disse.

Haley afirmou que conversou neste sábado com o presidente Donald Trump, que reforçou a decisão de não permitir que a Síria utilize armas químicas, como supostamente aconteceu na semana passada em Duma. "Quando nosso presidente traça uma 'linha vermelha', nosso presidente a aplica", disse a representante americana.

Estados Unidos, França e Reino Unido executaram na sexta-feira (13) ataques com mais de cem mísseis contra vários alvos na Síria, em resposta ao suposto uso de um gás venenoso por parte do governo no fim de semana passado.

O Conselho de Segurança da ONU rejeitou neste sábado uma resolução apresentada pela Rússia para condenar o ataque lançado nas últimas horas contra a Síria por Estados Unidos, Reino Unido e França. A minuta da resolução considerava que o ataque representa uma violação do direito internacional e da Carta das Nações Unidas e pedia às três nações que evitem no futuro o uso da força contra o regime de Bashar Assad.

Leia também:

Ataque com sarin e cloro

Os Estados Unidos acreditam que o gás sarin, um agente neurotóxico, foi usado junto com cloro em um suposto ataque do governo sírio em Guta Oriental, informou um alto funcionário do governo americano. A ação levou à resposta militar de potências ocidentais na sexta-feira.

Arte/UOL


Segundo o alto funcionário, que falou na condição de anonimato, a análise das imagens feitas na cena do ataque da semana passada em Duma aponta para o uso do agente nervoso cujo uso é proibido.

"Embora se tenham mais informações disponíveis sobre o uso de cloro, temos informação relevante que também aponta para o uso de sarin", declarou o funcionário.

Secretário-geral pede moderação 

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu que seus membros "demonstrem moderação nessas circunstâncias perigosas e evitem atos que possam agravar a situação e agravar o sofrimento do povo sírio".

Ele disse que os investigadores internacionais estão na Síria e estão prontos para visitar o local de um suspeito ataque com armas químicas em Douma, que teria levado à ação militar dos Estados Unidos, França e Reino Unido.

(Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos