Geneticista explica como polícia usou sites de genealogia para descobrir serial killer

Do UOL, em São Paulo

  • Polícia de Sacramento/Divulgação

A polícia de Sacramento, na Califórnia (EUA), conseguiu encontrar o responsável pelo assassinato de 12 pessoas e por 45 estupros entre 1976 e 1986 por causa de um site dedicado a traçar a árvore genealógica dos usuários. Para os investigadores, Joseph James DeAngelo, de 72 anos, é o chamado "Golden State killer", ou, assassino do Estado dourado, em referência à Califórnia. O DNA do suspeito foi comparado a perfis genéticos disponíveis no site GEDmatch, em um processo chamado de "triangulação genealógica".

Para muita gente, foi uma surpresa saber que sites de genealogia podem ajudar a desvendar crimes antigos. Mas, para o geneticista Yaniv  Erlich, da Universidade Columbia, em Nova York, o que ocorreu no caso do serial killer californiano não tem nada de surpreendente. Em entrevista à revista "Science", o pesquisador, que trabalha para o site My  Heritage e que não atuou diretamente nesse caso, a polícia deve ter afunilado a busca pelo assassino por meio da amostra de um primo de primeiro grau.

"Eu ficaria surpreso se tivessem achado por um primo de terceiro grau, já que teriam várias opções", disse. Uma vez que o parente foi encontrado, por meio do DNA, os investigadores foram atrás de membros da família que tinham características parecidas com o que já se sabia do assassino.

"A polícia tinha três opções: descobrir quem era o assassino só por meio da árvore genealógica; contatar o parente encontrado e inventar uma história para pegar seu DNA; ou ser claro dizer 'somos da polícia, você não é suspeito, mas pode nos ajudar por causa de seu DNA'", afirmou Erlich. "Provavelmente, a coisa mais segura é criar uma história e dizer: 'Oh, graças a Deus eu encontrei você, vamos nos encontrar.' Quando eles se encontrarem, a polícia vem em equipe e diz que está investigando um crime e pede, por favor, para que apresente a árvore genealógica da família. Não é muito legal dizer não. Então, se você tem 20 pessoas na árvore, é bem fácil escolher a pessoa que você está procurando e que é velha, do sexo masculino, que mora na Califórnia e que, segundo algumas das vítimas, tinha olhos claros", completou.

Rich Pedroncelli/AP
Retratos falados apresentados pelo FBI

Para Erlich, as pessoas vão começar a pensar melhor antes de cadastrar seus DNAs em sites como o GEDmatch. Hoje, muita gente acha que o material genético vai ser usado somente para fins de genealogia, mas, na verdade, a polícia pode usar essas informações quando quiser.

No caso de DeAngelo, os investigadores usaram amostras de DNA obtidas nas cenas dos crimes, que foram comparadas a perfis genéticos publicados no site GEDmatch. Os investigadores analisaram as árvores genealógicas de famílias cujo DNA se aproximava das amostras obtidas, até chegarem a Joseph DeAngelo, que havia morado na zona de vários estupros no subúrbio de Sacramento, e tinha na época a suposta idade do agressor.

Em seguida, a polícia realizou uma operação de vigilância para recuperar amostras de DNA de DeAngelo, que se revelaram compatíveis com as encontradas nos locais dos crimes.

Na terça-feira da semana passada, a polícia prendeu DeAngelo. Segundo o FBI, ele entrava nas casas durante a noite e amarrava as vítimas mulheres, estuprando muitas delas.

O suspeito foi policial entre 1973 e 1979, os últimos três anos em Auburn, perto de Sacramento, de onde foi demitido por furto, e é muito possível que tenha cometido os crimes quando estava na polícia. (Com informações da AFP)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos