Número de nascimentos nos EUA em 2017 foi o menor em 30 anos

Alex Tanzi

Bloomberg

  • Stacie Scott/The Gazette via AP

O número de nascimentos nos EUA caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2017, para 3.853.472, o nível mais baixo desde 1987, informou o Centro Nacional de Estatísticas de Saúde nesta quinta-feira (17).

Os nascimentos caíram 2 por cento, ou 92.403, em relação a 2016. A taxa de natalidade das mulheres de 15 a 39 anos caiu de 2016 para 2017, mas subiu nesse mesmo período para as mulheres de 40 a 44 anos.

A taxa de natalidade adolescente caiu 7 por cento em relação a 2016 para um piso recorde neste grupo etário. A taxa diminuiu quase 8 por cento ao ano na última década. Menos de 200.000 bebês nascem agora de mulheres de 15 a 19 anos, uma queda de 56 por cento em relação aos 444.899 nascimentos do tipo registrados em 2007. Houve menos de 2.000 nascimentos de mães de 10 a 14 anos.

Quase um terço dos nascimentos nos EUA é por cesariana. Por estado, a parcela de cesarianas variou de um pico de 37,8 por cento no Mississipi para um piso de 22,5 por cento no Alasca.

Menos de 10.000 bebês nasceram em Vermont, Wyoming e no Distrito de Columbia, respectivamente, no ano passado. Os estados mais numerosos em termos de natalidade foram a Califórnia, com 471.552 nascimentos, e o Texas, com 381.978.

A maioria dos nascimentos, 56,2 por cento, no Novo México foi de mães de origem latina. O Texas ficou em segundo lugar na maior proporção de partos de mães de origem latina, com 47,2 por cento, ultrapassando a Califórnia, que teve 46,7 por cento. Menos de cinco por cento dos nascimentos em Maine, West Virginia, Vermont, Mississippi e Montana foram de mães de origem latina.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos