PUBLICIDADE
Topo

Autoridades tailandesas acreditam que 12 meninos desaparecidos na caverna estão vivos

Equipes de resgate trabalham em caverna onde um grupo de meninos desapareceu - Thai News Pix via AP
Equipes de resgate trabalham em caverna onde um grupo de meninos desapareceu Imagem: Thai News Pix via AP

Tassanee Vejpongsa

Da Associated Press, em Mae Sai (Tailândia)

25/06/2018 22h09

Para os pais de 12 garotos desaparecidos em uma caverna na Tailândia, a noite da última segunda-feira (25) foi a terceira que eles passaram sem os filhos. Durante o dia, a chuva torrencial fez a água chegar a cinco metros de altura em algumas partes da caverna, o que forçou as equipes de resgate a suspender a busca.

Apesar do cenário, as autoridades dizem acreditar que os meninos, com idades entre 11 e 15 anos, ainda estão vivos. O relato mais provável diz que eles entraram em uma caverna chamada Tham Luang Nang Non, na província de Chiang Rai, com o treinador de 25 anos na tarde do sábado (23). Na entrada da caverna, havia bicicletas, mochilas e chuteiras deixadas pelos garotos, que não voltaram para casa depois do treino de futebol.

O avanço dos níveis de água frustrou as equipes de resgate, incluindo membros da Marinha, que adentrariam a caverna que tem cerca de 6 a 8 quilômetros de extensão e grandes câmaras internas. Na segunda-feira à noite, as autoridades ordenaram que as equipes deixassem o local temporariamente.

"Entramos alguns quilômetros e pudemos ingressar em uma segunda câmara atrás da entrada. Havia uma área onde vi sapatos e bolsas deixados no chão. Acreditamos que os alunos foram mais longe", afirmou o tenente Naponwath Homsai, membro da equipe de resgate.

Os pais aguardaram durante a noite em tendas do lado de fora da caverna, enquanto a chuva continuava a cair. Médicos estavam a postos em uma tenda próxima.

Par de chuteiras deixado ao lado de bicicletas na entrada de uma caverna em Chiang Rai - Thai News Pix via AP - Thai News Pix via AP
Par de chuteiras deixado ao lado de bicicletas na entrada de uma caverna em Chiang Rai
Imagem: Thai News Pix via AP

Ali próximo, onde há um santuário com uma estátua de Buda, as mães e outros familiares realizaram uma sessão de oração. Eles colocaram flores e alguns entraram na caverna, onde seus gritos podiam ser ouvidos ecoando nas paredes:

Meu filho, saia! Estou te esperando aqui",

Mãe de um dos garotos desaparecido

Outra mãe se ajoelhou perto das bicicletas e rezou, perguntando: "onde está meu filho?"

Namhom Boonpiam, cujo filho de 13 anos, Mongkol, está entre os desaparecidos, disse que estava esperando na entrada da caverna desde a noite de sábado.

"Eu não dormi e espero que todos possam sair, sãos e salvos", disse ela. "Meu filho é um menino forte. Eu ainda tenho esperança."

Equipes de resgate se reúnem na entrada da profunda caverna onde um grupo de meninos desapareceu em Chiang Rai, na Tailândia - Thai News Pix via AP - Thai News Pix via AP
Equipes de resgate se reúnem na entrada da profunda caverna onde um grupo de meninos desapareceu em Chiang Rai, na Tailândia
Imagem: Thai News Pix via AP

As autoridades continuam otimistas de que os meninos sejam achados seguros.

Chote Narin, oficial da delegacia do distrito de Mae Sai, disse na segunda-feira à tarde que pegadas e marcas de mãos foram encontradas dentro da caverna. Ele afirmou que o fato de os meninos serem atletas deve ajudá-los a suportar a situação.

Apesar das fortes chuvas e do aumento do nível águas, as autoridades estão esperançosas de que ainda existam espaços seguros no complexo de cavernas, disse o vice-governador de Chiang Rai, Passakorn Bunyalak, em entrevista coletiva.

"Estamos confiantes de que as crianças ainda devam estar em boas condições", afirmou ele, observando que as equipes de resgate não viram nada dentro da caverna para indicar o contrário.

Ele também afirmou que os mergulhadores podem ter de levar comida antes do resgate e que os meninos podem ter de precisar esperar o fim da chuva ou aprender o básico sobre o mergulho para sair.

A caverna, encravada em uma montanha no extremo norte da Tailândia, perto da fronteira com Myanmar, é uma atração turística local que pode inundar severamente durante a estação chuvosa, de junho a outubro.

Kamolchai  Kotcha, um funcionário do parque florestal onde a caverna está localizada, disse que turistas presos na caverna por inundações passadas foram resgatados depois que a água recuou, alguns dias depois.

Em As Cavernas do Norte da Tailândia, um guia online atualizado neste ano, a caverna é descrita como explorável apenas de novembro a junho. O manual diz que a caverna tem uma "câmara de entrada impressionante" de cerca de 80 metros de comprimento e leva a uma caminhada fácil por "passagens espaçosas" que duram cerca de um quilômetro.

Bicicletas deixadas por um grupo de garotos desaparecidos na entrada de uma caverna em Chiang Rai - Thai News Pix via AP - Thai News Pix via AP
Bicicletas deixadas por um grupo de garotos desaparecidos na entrada de uma caverna em Chiang Rai
Imagem: Thai News Pix via AP

"No final do caminho marcado, a passagem desemboca em uma série de câmaras. Há queda de pedregulhos e obstruções de rochas nos locais onde a rota pode ser difícil", diz.

Depois de algumas centenas de metros, a caverna se estreita para uma passagem de dois metros de largura e três metros de altura. Depois dessa área, a caverna se divide em direções diferentes, incluindo várias rotas que levam a outras câmaras, poças de água ou lugares com buracos que alcançam a superfície.

Chote, funcionário da polícia de Mae Sai, disse que um helicóptero foi enviado na tarde de segunda-feira para inspecionar pelo menos um desses poços.

Anukoon Sorn-ek, geógrafo e especialista na caverna Tham Luang Nang Non, disse que os mergulhadores chegaram a cerca de três quilômetros do complexo. Ele afirmou que a caverna mantém uma temperatura relativamente estável de cerca de 25 graus.

Ele explicou que a única maneira de tirar os meninos seria mergulhando.

"Mas eles têm de ser encontrados primeiro", disse.