PUBLICIDADE
Topo

Erdogan chama Israel de país 'mais fascista e racista do mundo'

O presidente da Turquia, Raccep Tayyip Erdogan - AFP
O presidente da Turquia, Raccep Tayyip Erdogan Imagem: AFP

Ancara

24/07/2018 08h37

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, chamou nesta terça-feira (24) Israel de país "mais fascista e racista do mundo", após a aprovação, na semana passada, de uma lei que define Israel como "o Estado-nação do povo judeu".

"Esta medida demonstrou, sem deixar lugar para dúvida, que Israel é o Estado mais sionista, mais fascista e mais racista do mundo", disse Erdogan em um discurso para sua bancada parlamentar em Ancara, enquanto alguns deputados gritavam "maldita seja Israel".

O presidente turco ainda fez referência aos ataques israelenses contra manifestantes na fronteira do país com a Faixa de Gaza, o que já deixou centenas de mortos palestinos. 

Leia mais:

A lei --aprovada pelo parlamento israelense em uma sessão que durou mais de oito horas-- foi intitulada "Estado-Nação Judaico". A legislação ainda retira o árabe como uma das línguas oficiais do país, fazendo do hebreu a única língua oficial, e diz que o avanço dos assentamentos judaicos nos territórios palestinos ocupados é de interesse nacional. 

Parlamentares de origem árabe classificaram a lei como "racista". Outros críticos, como ONGs e acadêmicos, disseram tratar-se de um atentado à democracia. 

(com AFP)