PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA fecham fronteira com México em San Ysidro após tentativa de invasão

Do UOL

25/11/2018 20h37

O governo dos Estados Unidos decidiu fechar neste domingo (25) o posto de fronteira de San Ysidro, entre as cidades de San Diego e Tijuana (México), depois que centenas de imigrantes centro-americanos furaram um bloqueio da polícia mexicana com a intenção de entrar ilegalmente no país.

O Escritório de Alfândegas e Proteção de Fronteira (CBP, em inglês) informou nas redes sociais sobre o fechamento da passagem, uma das mais transitadas do mundo.

Leia também:

Na segunda-feira passada (19), as autoridades americanas fecharam a mesma passagem diante das informações que indicavam que alguns dos membros da caravana - que saiu de Honduras e chegou a Tijuana - tinham a intenção de entrar à força nos EUA, segundo confirmaram a fontes do CBP.

Os fatos deste domingo começaram por volta das 11h20 (horário local; 17h20 em Brasília), quando centenas de migrantes conseguiram chegar ao edifício onde fica a guarita que conecta México e EUA, com o propósito de solicitar asilo no território americano.

"As vias sul de acesso ao México no posto de entrada de San Ysidro estão fechadas neste momento. Além disso, o acesso norte aos veículos para o seu processo está suspenso. Os acessos de pedestres também estão suspensos tanto no leste como no oeste", informou o CBP pelas redes sociais.

Ao mesmo tempo, outro grupo de pessoas rompeu uma das cercas de segurança para tentar chegar à fronteira americana por outro caminho. No lado mexicano ocorreram confrontos entre os migrantes e as forças de segurança.

Um grupo de imigrantes escalou a primeira cerca da fronteira que separa ambos os países, mas a polícia americana usou gás lacrimogêneo e a maioria dos centro-americanos recuou. Apesar das tentativas, até o momento nenhum membro da caravana, conseguiu pisar no território americano.

"Pararam uns amigos que iam pular (o muro) e atiraram uma bomba na gente. E um americano fazia sinais de que ia nos matar", disse Alexis, um migrante hondurenho integrante da caravana.

Alguns migrantes tentaram apaziguar a situação com a esperança de evitar que os fatos afetem negativamente o objetivo de poder tramitar a solicitação de asilo nos EUA.

Segundo dados do Departamento de Segurança Nacional (DHS) dos EUA, cerca de sete mil imigrantes aguardam do outro lado da fronteira, principalmente nas cidades de Tijuana e Mexicali, para apresentarem a solicitação de asilo.

(Com agências internacionais)

Internacional