Topo

'Bolsonaro utiliza ódio e medo', diz Dilma em entrevista à TV na Europa

Do UOL, em São Paulo

2018-12-03T18:16:26

03/12/2018 18h16

Desde que foi derrotada na corrida por um assento no Senado por Minas Gerais, a ex-presidente Dilma Rousseff tem reforçado as iniciativas de relações exteriores do Partido dos Trabalhadores (PT): deu entrevista à CNN em espanhol, participou de um encontro de líderes de esquerda em Buenos Aires e, nesta segunda-feira (3), aparece em uma entrevista na TV3, o principal canal de televisão da Catalunha.

"Bolsonaro é alguém que utiliza e abusa deste sentimento, de ódio e medo", disse Dilma ao programa "Quatre gats".

"Nem o nazismo, nem o fascismo chegaram ao poder sem votos", afirmou Dilma, comparando o próximo governo a regimes totalitaristas europeus.

Ela também dá sua interpretação para o processo de destituição que sofreu em 2016. "O nosso golpe foi diferente. Não é um machado que corta uma árvore. O nosso golpe de 2016 funcionou como se a árvore da democracia tivesse sido atacada por fungos e parasitas que fossem comendo a democracia por dentro e fossem destruindo, mas não destruindo o direito de todos. Destroem os direitos de alguns", afirmou Dilma.

O programa em catalão também ouve o ministro-chefe da Secretaria de Governo de Michel Temer (MDB) Carlos Marun. Para ele, "Dilma apresentou à população dados equivocados, falsos a respeito da realidade brasileira. por isso, muita gente votou enganada por aqueles números. Constatada aquela mentira, depois das eleições apareceram situações que mostraram aos brasileiros que as coisas não eram como ela havia mostrado. E aí começou um processo de descrédito absoluto ao governo", disse.

A reportagem do programa também mostra no Rio a campanha de Romário "ex-jogador de futebol e político", fala com eleitores brasileiros ("votei no Lula, mas agora Bolsonaro, por que quer mudança", diz um taxista) e com o correspondente da CNN em espanhol no Brasil. 

Mais Internacional