PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Com cadastro online, PF facilita entrada de turistas argentinos no RS

Passagem de carros entre a fronteira de Brasil com Argentina, pela cidade de Uruguaiana (RS) - 15.ago.2018 - Sinpef-RS
Passagem de carros entre a fronteira de Brasil com Argentina, pela cidade de Uruguaiana (RS) Imagem: 15.ago.2018 - Sinpef-RS

Do UOL, em Brasília

20/12/2018 13h23

A Polícia Federal lançou nesta quinta-feira (20) um sistema de cadastro prévio para turistas argentinos que pretendem entrar no Brasil pela fronteira terrestre na cidade de Uruguaiana (RS). Segundo a pasta, o objetivo é dar maior rapidez ao atendimento na fronteira.

Será feito um cadastro pela internet, que gera um código verificador por meio do sistema de QR Code. Ao ingressar no território brasileiro, o turista argentino apresentará o código, impresso ou no próprio celular, que será validado juntamente com um documento de viagem válido, permitindo a entrada do turista.

A novidade vale apenas para argentinos que entram no país pelo posto de controle de Uruguaiana, mas a Polícia Federal estuda estender o sistema para estrangeiros de outras nacionalidades e em diferentes pontos de controle da fronteira. 

O sistema da PF é voltado apenas para turistas e não contempla a concessão de vistos para imigrantes que pretendam permanecer no território nacional.

Críticas a imigrantes

O anúncio ocorre em meio a críticas à migração feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e ao anúncio por seu futuro chanceler, Ernesto Araújo, de que o Brasil vai se retirar do Pacto Global para Migração, além da crise migratória na fronteira do Brasil com a Venezuela.

O presidente eleito defendeu critérios "rigorosos" para permitir a entrada de imigrantes no Brasil. Na terça-feira (18), Bolsonaro afirmou que a migração tornou "simplesmente insuportável" viver em algumas partes da França e voltou a falar em barrar imigrantes que queiram vir ao Brasil.

Este ano, por causa da chegada de venezuelanos fugindo da crise econômica naquele país, o governo de Roraima chegou a pedir, numa ação judicial, o fechamento da fronteira com o país vizinho. A medida foi barrada pelo STF

Araújo, futuro chefe do Itamaraty, afirmou que a "imigração é bem-vinda, mas não deve ser indiscriminada", disse. "Tem de haver critérios para garantir a segurança tanto dos migrantes quanto dos cidadãos no país de destino", escreveu no Twitter o chanceler indicado pelo presidente eleito.

Internacional