Topo

Forte explosão deixa mortos e feridos no centro de Paris

Thomas Samson
12.jan.2018 - Bombeiros atendem vítimas após explosão no centro de Paris Imagem: Thomas Samson

Do UOL, em São Paulo

2019-01-12T06:51:53

2019-01-12T14:59:44

12/01/2019 06h51Atualizada em 12/01/2019 14h59

Uma forte explosão no centro de Paris, na França, deixou um rastro de destruição, ao menos três mortos e quase 50 feridos, dez deles em estado grave, por volta das 9h10 (6h10 em Brasília) deste sábado (12).

A causa do incidente está sendo investigada e a principal suspeita é de que um vazamento de gás em uma padaria, que fica no térreo de um prédio. Vários prédios da capital francesa estão conectados ao sistema de gás natural da cidade, mas as explosões por vazamento são pouco frequentes.

"Quando os bombeiros estavam procurando um vazamento de gás no prédio, uma grave explosão aconteceu", disse o ministro do Interior francês, Christophe Castaner, acrescentando que um dos bombeiros havia ficado sob os escombros por várias horas.

Mais cedo, Castaner anunciou as mortes de quatro pessoas, dois civis e dois bombeiros, mas o Ministério Público de Paris confirmou apenas a morte dos dois bombeiros. Apenas à tarde uma terceira vítima foi confirmada: "Uma cidadã espanhola faleceu (...) no hospital", disse à AFP uma fonte do Ministério das Relações Exteriores da Espanha.

A mulher, que ainda não teve sua identidade divulgada, fazia turismo na capital francesa acompanhada do marido. Ele não ficou ferido e estava sendo atendido pelo pessoal consular, acrescentou a mesma fonte. Um outro homem, também de nacionalidade espanhola, foi afetado pela onda expansiva e está entre os feridos, relatou a fonte diplomática.

Cerca de cem agentes de polícia e 200 bombeiros trabalhavam no local, e helicópteros foram usados para transportar as vítimas a hospitais da região.

THOMAS SAMSON/AFP
Mulher é resgatada de um apartamento após explosão no centro de Paris Imagem: THOMAS SAMSON/AFP

Protestos dos coletes amarelos

O incidente ocorreu com Paris sob alerta de segurança pelo nono fim de semana seguido de protestos dos "coletes amarelos", com grande parte da capital francesa bloqueada pela polícia.

Poucas horas após a explosão, milhares de manifestantes marcharam pacificamente pelo bairro comercial de Grands Boulevards, no norte da cidade, a apenas algumas centenas de metros do local da explosão.

Atentado foi descartado

Nos últimos anos, a França sofreu uma série de ataques militantes islâmicos em Paris, Nice, Marselha e em outras cidades, mas as autoridades rapidamente descartaram que tenha havido um atentado neste sábado.

"Neste estágio, podemos dizer que a explosão do gás é claramente um acidente", disse o promotor de Paris, Remi Heitz, a repórteres.

Susto em moradores e turistas

A explosão aconteceu no distrito IX, perto do Museu Grévin e em uma região com vários hotéis. A explosão destruiu janelas de prédios das redondezas, incluindo vários hotéis, cujos hóspedes foram retirados. O incidente ainda virou um carro e acionou todos os alarmes do bairro. 

Nas ruas próximas, vários turistas, de mala nas mãos, deixavam os hotéis. Moradores saíam de suas casas de pijama. Um homem descalço, coberto de poeira, foi atendido pelos serviços de emergência. A alguns metros dali, um grupo de cerca de dez pessoas, com ferimentos sobretudo na cabeça, receberam atendimento médico.

THOMAS SAMSON/AFP
Bombeiros apagam fogo em Paris; suspeita é de vazamento de gás em padaria Imagem: THOMAS SAMSON/AFP

"Estávamos dormindo, quando ouvimos um barulho. Achamos que fosse um terremoto", contou uma adolescente que vive em uma rua próxima. "Descemos e vimos um prédio em chamas", disse seu irmão.

"Todas as janelas do nosso apartamento quebraram. Todas as dobradiças das portas que estavam abertas pularam. Para sair do meu quarto, tive que andar por cima da porta. As crianças estavam muito assustadas. Não conseguiam sair do quarto", relatou Claire Sallavuard, que vive no mesmo prédio da padaria. A família teve de ser retirada do primeiro andar de escada pelos bombeiros.

A recepcionista do Hotel Diva, que fica a dez metros da padaria, Paula Nagui, afirmou ao jornal que todas as janelas explodiram. "Os clientes foram tranquilizados porque acharam que fosse um ataque terrorista", disse. "Eles foram retirados do hotel a pedido dos bombeiros."

"Eu vi a padaria em chamas, mas tentei manter a calma. Não havia pessoas na rua, só vi carros virados por causa da explosão", disse.

(Com agências de notícias)

Mais Internacional