PUBLICIDADE
Topo

Teerã proíbe passear com cães pelas ruas; hábito é considerado 'ocidental'

Cachorro e mulher no Irã. Animais não são bem aceitos por políticos conservadores - Behrouz Mehri/AFP
Cachorro e mulher no Irã. Animais não são bem aceitos por políticos conservadores Imagem: Behrouz Mehri/AFP

Do UOL, em São Paulo

02/02/2019 04h01

O governo de Teerã, capital do Irã, proibiu o passeio de cães em vias públicas da cidade. Nenhum morador da cidade tem permissão para levar seu cãozinho para dar uma volta pelas ruas desde o fim do mês passado.

O chefe da polícia de Teerã, Hossein Rahimi, afirmou a uma agência estatal de notícias que os cães em locais públicos causam pânico e ansiedade nas pessoas. Segundo ele, a polícia tem permissão judicial de abordar "com severidade" qualquer um que leve seu cachorro para um passeio. 

Além disso, os cães também estão proibidos de andar de carro. Os motoristas estão sujeitos a multas pesadas. 

Os clérigos islâmicos do Irã há muito tempo desencorajam os habitantes do país a terem cachorros como bichos de estimação, algo que é ignorado pela classe média. 

Em 2010, um clérigo publicou uma fatwa, ou regra religiosa, que dizia que os cães são impuros e, por isso, não devem ser bichos de estimação. 

"A amizade com cães é uma imitação cega do Ocidente. Muitas pessoas no Ocidente amam seus cachorros mais do que suas mulheres e filhos", disse o grande aiatolá Naser Makarem Shirazi, de acordo com o jornal Javan Daily publicado na época. 

Internacional