PUBLICIDADE
Topo

Moro e Ricky Martin: como ícones nacionais têm reagido a Telegram vazado

Alvo de ofensas homofóbicas em mensagens reveladas, Ricky Martin liderou protestos que derrubaram governador de Porto Rico - Reprodução/Instagram
Alvo de ofensas homofóbicas em mensagens reveladas, Ricky Martin liderou protestos que derrubaram governador de Porto Rico Imagem: Reprodução/Instagram

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/07/2019 04h01

Diálogos de autoridades no Telegram, aplicativo similar ao Whatsapp, são publicados pela imprensa. O teor das mensagens sacode a nação, e a repercussão do vazamento frequenta as manchetes do último mês. Brasil? Sim - e Porto Rico também.

Na pequena nação caribenha associada aos Estados Unidos, assim como no Brasil, a divulgação de diálogos privados gera um turbilhão político e envolve figuras de grande apelo popular - o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, por aqui, e o cantor Ricky Martin, por lá.

Mas as semelhanças se encerram por aqui: Moro era autor das mensagens vazadas, e Ricky Martin era alvo de comentários homofóbicos que vieram a público.

O desfecho (renúncia do governador porto-riquenho), a reação da sociedade e o contexto também diferem.

Entenda semelhanças e diferenças:

Similar: imprensa divulga mensagens

No início de julho, o Centro de Jornalismo Investigativo de Porto Rico revelou diálogos do então governador Ricardo Rosselló, 40, com piadas homofóbicas para se referir a Ricky Martin e palavrões sobre a prefeita de San Juan, a capital do país.

Os jornalistas tiveram acesso a 889 páginas de conversas entre Rosselló e 12 assessores

No Brasil, os diálogos entre Moro e a equipe da Lava Jato foram revelados pelo site The Intercept Brasil, que compartilhou alguns arquivos com Folha de S.Paulo, Veja e o blogueiro Reinaldo Azevedo, do UOL.

Similar: Telegram é a plataforma

O Telegram é tido como um dos aplicativos de mensagem mais seguros do mundo. Além de ser criptografado, ele não permite print das conversas. Privacidade é a sua principal referência.

Por isso, é usado por pessoas que não querem ter seus conteúdos vazados, como autoridades e empresários. Tanto os diálogos de Rosselló como os atribuídos a Moro foram tirados de grupos no Telegram.

Similar: Movimentou as ruas

As mensagens de Rosselló foram divulgadas em um sábado. No dia seguinte, domingo (14), já havia manifestantes nas ruas de San Juan para exigir uma retratação.

Liderados por estrelas locais, como o cantor Ricky Martin e Luis Fonsi, do hit Despacito, os protestos foram crescendo e, em menos de dez dias, já reuniam centenas de milhares.

Por aqui, também houve diversas manifestações públicas contra e a favor do ministro.

Diferente: Lá, não houve polarização

A divulgação das mensagens dividiu o Brasil: parte vê nelas indícios de que Moro foi parcial ao julgar e condenar Lula (PT) à prisão, enquanto outros veem ali esforços válidos para combater a corrupção.

Moro nunca confirmou os diálogos, mas repetiu diversas vezes que, se forem reais, não mostram nada de ilegal.

Em Porto Rico, a opinião pública majoritária se virou contra o governador Roselló, e não houve manifestações de apoio a ele.

Pegou mal entre os porto-riquenhos saber que o governador se referia à prefeita da capital como "puta" e "louca" e a Ricky Martin como "mamabicho" - bicho é um termo pejorativo para pênis.

Além dos comentários inapropriados, vieram à tona indícios de corrupção.

Diferente: origem das mensagens não importou

Por aqui, o vazamento desencadeou uma grande investigação da Polícia Federal e a prisão de quatro supostos hackers. Na ilha associada aos Estados Unidos, não houve um debate significativo sobre a fonte das mensagens, e o foco é o conteúdo.

Diferente: Rosselló assumiu os diálogos

Durante os protestos, Rosselló tentou se retratar, mas não negou que os diálogos fossem seus.

Por aqui, Moro, principal envolvido, nunca assumiu a veracidade. Segundo o ministro, ele não tem como lembrar o que disse em 2017, e as mensagens podem ter sido adulteradas.

O argumento é utilizado também pelo procurador Deltan Dallagnol, da operação Lava Jato. Já outros envolvidos, como o apresentador Fausto Silva, confirmaram as mensagens.

Diferente: Governador caiu

Depois de duas semanas enfrentando protestos, Rosselló renunciou. O anúncio foi feito pelo Facebook na última quarta-feira (24).

"Após escutar as críticas e falar com minha família (...) tomei a seguinte decisão com desprendimento: hoje lhes anuncio que estarei renunciando ao cargo de governador na sexta-feira, dia 2 de agosto, às cinco da tarde", disse governador em vídeo.

Por aqui não há confirmação das mensagens e nenhuma das figuras públicas envolvidas no vazamento deixou seus respectivos cargos.

Internacional