PUBLICIDADE
Topo

Havaiana corta dedo no papelão e quase morre com infecção que 'mata a pele'

Heather Harbotlle, recuperada, e em imagem de vídeo feita quando ela estava no hospital se recuperando da infecção - Arquivo Pessoal/Reprodução MDW Features
Heather Harbotlle, recuperada, e em imagem de vídeo feita quando ela estava no hospital se recuperando da infecção Imagem: Arquivo Pessoal/Reprodução MDW Features

Do UOL, em São Paulo

18/02/2020 14h04

Uma mulher de 49 anos ficou perto da morte depois de cortar a mão em uma caixa de papelão. O que parecia um simples corte, virou motivo de preocupação para Heather Harbotlle. Ela foi dormir e percebei que a área do corte estava doendo, vermelho e muito inchada.

No dia seguinte, ela estava pior. Foi quando ela decidiu ir até o hospital, onde os médicos constataram uma infecção causada por uma bactéria que mata a pele, os músculos e os tecidos moles, popularmente conhecida como "comedora de carne".

A infecção estava se espalhando rapidamente pela mão dela, corroendo os tendões até a axila e o coração.

A bactéria gerou sepse, colocando a vida de Heather em risco e atacando seus rins. Ela precisou tomar vários antibióticos enquanto os médicos cortavam a carne apodrecida a cada três dias. Ela passou 65 dias no hospital para se recuperar e voltar para casa.

"Meu meu corpo estava tão doente e desligado e a infecção foi tão grave que, depois de ser levada para uma emergência, me lembro muito pouco do que aconteceu, até que acordei na UTI", contou ela.

"Eu estava em uma situação séria e longe de estar fora de perigo. Ficar forte era a única opção. Mas eu sofri mental e emocionalmente".

Ela ainda passou por procedimentos de reconstrução da pele em 2018 — o caso aconteceu em 2017 e veio a público essa semana após a entrevista de Heather para o Media Drum World.

"Ainda estou em terapia ocupacional e trabalhando duro para recuperar o uso total dos meus dedos novamente. Definitivamente, é algo que eu acabei de me adaptar, mas há muita dificuldade em fazer. Meu dedo ficou paralisado, então me vestir ou me pentear é uma luta ainda. Mas você se adapta e aprende de uma maneira diferente", disse ela.

"Estou tão feliz por ter minha filha nos braços e toda a minha família. Eu sou verdadeiramente sortuda e abençoada por estar aqui", finalizou a havaiana.

Internacional