PUBLICIDADE
Topo

Amal Clooney critica postura de líderes autoritários perante jornalistas

Amal Clooney - Getty Images
Amal Clooney Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/02/2020 18h06

Amal Clooney, embaixadora da liberdade de imprensa do Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido, acredita que os britânicos devem ser mais criativos na luta pela liberdade de imprensa pelo mundo.

Para ela, a postura dos Estados Unidos vem incentivando o cerceamento da liberdade na atividade jornalística. "Parte da linguagem usada por líderes autoritários para se referir aos jornalistas é inspirada na linguagem que vem do presidente dos Estados Unidos", afirmou a embaixadora.

Segundo o jornal The Guardian, o parlamento britânico deve aprovar em breve um pacote de medidas que visam a introduzir sanções direcionadas a indivíduos, incluindo os ministros, que devem violar os direitos humanos, inclusive o direito de livre expressão. Os Estados Unidos e o Canadá já introduziram essa pauta em seus congressos e a União Europeia anunciou em dezembro que está de olho em medidas similares.

Vendo os Estados fecharam o cerco contra os indivíduos, Amal Clooney pede criatividade. "Se os líderes mundiais estão ficando mais unidos e mais inovadores na tentativa de silenciar a imprensa, nós, como defensores da imprensa, não deveríamos fazer o mesmo?", questiona.

"Tudo o que eu posso fazer como advogada defensora dos direitos humanos é tentar levar esse assunto para a pauta do país, para que em caso de dúvida, ele tenda a fazer algo. Mas sim, é um cenário bastante sombrio no que se refere a responsabilização por violações dos direitos humanos", confessa. "Certamente não é hora para desistir".

Internacional